Ir para conteúdo

Guia NBA – das Mina

A temporada começa nesta terça-feira (22), uma data bem atípica e já fazendo o esquenta para a rodada de Natal e, para deixar todo mundo situado dessa loucura toda que aconteceu nos últimos meses, o NBA das Mina traz um guia da temporada. Confira!

ATLANTA HAWKS

Eis uma franquia que investiu pesado para retornar aos playoffs, do qual participaram pela última vez em 2017 quando foram eliminados pelo Washington Wizards, na primeira rodada. O general manager Travis Schlenk fez uma das melhore agências livres da temporada trazendo os experientes Rajon Rondo (ex-Lakers), Bogdan Bogdanovic (ex-Sacramento Kings), Danillo Gallinari (ex-OKC) e Kris Dunn (ex- Bulls) numa clara tentativa de, não apenas retornar à pós-temporada, mas dar experiência ao time de um dos jovens mais promissores da liga: Trae Young. Os números não mentem: Young vem com médias incríveis por jogo (29,6 pts, 9.3 ast) e com a adição de Rondo e Dunn (este um armador com muita habilidade defensiva) pode aumentar essa performance. Na defesa, Clint Capela (que deve finalmente estrear nos Hawks depois de lesão) e John Collins, quanto a Gallinari deve ser uma arma ofensiva vinda do banco, algo acordado durante a agência livre. Além desses, tem os reforços vindos do Draft 2020, Onyeka Okongwu e Skylar Mays que podem ajudar na defesa, o ponto fraco do time. A vaga no play-in é o mais provável, mas se a dupla Collins/Capela estiver saudável e Bogdanovic/Young render o que promete, os Hawks podem surpreender com um classificação direta para a pós-temporada.

O que mudou: Chegaram Bogdan Bogdanovic (Sacramento King), Rajon Rondo (Los Angeles Lakers), Danillo Gallinari (OKC), Tony Snell (Detroit Pistons), Solomon Hill (Miami Heat), Onyeka Okongu (escolha nº6 no draft), Skylar May (escolha nº 50 no draft). Saíram: Charlie Brown (Minnesota), DeAndre Bembry (Toronto Raptors), Damian Jones (Phoenix Suns) e Treveon Graham (Milwaukee Bucks).

Elenco: Bogdan Bogdanovic (armador) Clint Capela (pivô), John Collins (ala-pivô), Kris Dunn (armador), Bruno Fernando (ala-pivô), Danilo Gallinari (ala), Brandon Goodwin (armador), Solomon Hill (ala), Kevin Huerter (ala-armador), De’Andre Hunter (ala-armador), Nathan Knight (ala-pivô), Skylar Mays (armador), Onyeka Okongwu (ala-pivô), Cam Reddish (ala-armador), Rajon Rondo (armador), Tony Snell (armador), Trae Young (armador).

Principais jogadores: Trae Young, John Collins

Técnico: Lloyd Pierce

General Manager:Travis Schlenk

BOSTON CELTICS

Depois de uma temporada que deixou os torcedores com um misto de surpresa e amargura por bater na trave mais uma vez, o Celtics chega para a temporada 2020/2021 com poucas mudanças e um único objetivo: chegar ao topo do Leste novamente e conquistar o 18º título. O salto de Jayson Tatum, que se tornou, naturalmente, o franchise player da equipe, o transformou de futuro em presente para a franquia de Boston. All Star, é do camisa 0 a responsabilidade de reconduzir o Celtics à final da NBA, mas ele não fará isso sozinho porque tem ao seu lado Jaylen Brown. A melhor dupla jovem da NBA divide essa responsabilidade ancorados por nomes importantes dentro da cultura de basquete de Boston, como Marcus Smart, a “alma” da franquia. Brown se viu a um passo do All Star e não seria ilusão dizer que ele pode estar entre as estrelas no próximo ano. O grande ponto de interrogação, no entanto, vem de Kemba Walker. Lesionado, o armador desfalca a equipe nas primeiras semanas e a maior dúvida é como o joelho de Kemba voltará após o tempo de recuperação.

O que mudou: Mais uma vez, o Celtics não fez grandes movimentos na offseason e manteve a base de um time que já vem sendo montado há alguns anos para ser a base da dupla Jay Jay e o ponto de equilíbrio para que a dupla possa fazer a história que todos imaginam e esperam. O principal “problema” foi resolvido por Danny Ainge: o contrato de Gordon Hayward. Apesar de ter sido duramente criticado no momento do anúncio da troca do ala para Charlotte, Ainge conseguiu uma trade exception de US$ 28,5 milhões, o que dá ao Celtics um bom “cofre” para investir no elenco antes da trade deadline. No entanto, até o momento, o dinheiro continua guardado esperando o momento e a peça oportuna. 

Além da saída de Hayward, o que mudou em relação ao início da temporada passada é o papel de Jayson Tatum. O camisa 0 começa sabendo que é o franchise player e ele parece pronto para assumir essa responsabilidade.

Também saíram de Boston: Enes Kanter (Portland Trail Blazers), Brad Wanamaker (Golden State Warriors) e Vincent Poirier (Philadelphia 76ers).

Os calouros Aaron Nesmith e Payton Pritchard foram adicionados a uma equipe jovem, que aposta em garotos draftados e tem um técnico famoso por trabalhar bem os jovens talentos que recebe. Além da juventude, o Celtics adicionou experiência em posições carentes, o big Tristan Thompson e o armador Jeff Teague, peças com rodagem de sobra e que podem encaixar e suprir necessidades que o C’s tiveram na temporada passada.

Elenco: Kemba Walker, Jeff Teague, Payton Pritchard, Carsen Edwards, Tremont Waters, Romeo Langford, Aaron Nesmith, Marcus Smart, Jaylen Brown, Javonte Green, Grant Williams, Semi Ojeleye, Jayson Tatum, Robert Williams, Daniel Theis, Tacko Fall e Tristan Thompson.

Principais jogadores: Jayson Tatum, Jaylen Brown, Kemba Walker e Marcus Smart.

Técnico: Brad Stevens

General Manager: Danny Ainge

BROOKLYN NETS

Na temporada 2019/2020, a franquia já havia anunciado a contratação de Kevin Durant e Kyrie Irving, duas superestrelas, mas que vinham sofrendo com lesões e acabaram efetivamente sendo desfalques para o time. Mesmo assim, bastou tal anúncio para que a franquia fosse automaticamente elevada de patamar: depois de muitos anos como mero figurante da NBA, o Brooklyn enfim chega como favorito ao título com a volta à ação das suas duas estrelas. 

O que mudou: Os jogos de pré-temporada marcaram a volta de Kevin Durant e Kyrie Irving, após 552 e 316 dias, respectivamente, e deixaram ótima impressão quanto ao condicionamento físico de ambos. Com o retorno em atividade dessas duas superestrelas, os Nets têm muitos motivos para se animarem quanto às possibilidades de título na temporada. 

Um aspecto essencial que corrobora essa pretensão é a profundidade do elenco, que conta com Caris LeVert, Spencer Dinwiddie, Joe Harris, DeAndre Jordan, Taurean Prince e Jarrett Allen. Ademais, houve a adição do veterano Jeff Green e do jovem Landry Shamett, que tem capacidade de arremessar do perímetro e de ser bom defensor. 

No comando técnico, mais um grupo estelar, formado por Steve Nash e Mike D’Antoni, ex-técnico do Houston Rockets. 

As grandes incógnitas para o time serão a capacidade de Durant e Irving de se manterem saudáveis ao longo de toda a temporada e o controle dos seus egos.  

Elenco: Bruce Brown, Chris Chiozza, Nicolas Claxton, Jeff Green, Tyler Johnson, Rodions Kurucs, Timothé Luwawu-Cabarrot, Jeremiah Martin, Reggie Perry, Taurean Prince. 

Principais jogadores: Kyrie Irving, Caris LeVert, Joe Harris, Kevin Durant e Jarrett Allen

Técnico: Steve Nash

General Manager: Sean Marks

CHARLOTTE HORNETS

Após draftar uma das sensações desse ano, Hornets investiu pesado em um jogador veterano visando alcançar playoffs no Leste. Questiona-se esse elenco jovem consegue ter forças pra classificar em uma conferência que está longe de ser fraca.

O que mudou: LaMelo Ball chega ao time como o melhor prospecto da última classe do draft e melhor jogador da família Ball. Longe de ser brilhante, as façanhas do rookie no ataque e em distribuição de jogadas deve aumentar o poderio ofensivo da equipe, em contrapartida a sua fraqueza defensiva é algo a se trabalhar. Os holofotes estarão em Lamelo, resta saber se ele terá condições de evoluir seu QI de basquete e arremessos logo na primeira temporada. 

Hornets também adicionou a equipe a experiência de Bismack Biyombo para vir do banco e Gordon Hayward e seu tão comentado contrato de 120 milhões de dólares por 4 anos. Se conseguir ficar saudável e tentar uma retomada ála tempos de Utah Jazz (o que já não é uma realidade pois quebrou o dedo na pré-temporada), é uma adição interessante a jovem equipe que ainda tem a versatilidade nos dois lados da quadra de PJ Washington, explosão e defesa dinâmica de Devonte Graham fazendo dupla com Ball e Cody Zeller ajudando em rebotes no garrafão. 

É um forte candidato a playoffs, se classificando a primeira rodada deve ser o limite. Charlotte ainda conta com Vernon Carey e Grant Riller escolhidos no último draft na segunda rodada.

Elenco: LaMelo Ball, Bismack Biyombo, Miles Bridges, Vernon Carey Jr, Keandre Cook, Nate Darling, Javin DeLaurier, Devonte Graham, Gordon Hayward, Caleb Martin, Cody Martin, Malik Monk, Nick Richards, Grant Riller, Terry Rozier, Xavier Sneed, PJ Washington, Kahlil Whitney e Cody Zeller.

Principais jogadores: Gordon Hayward e LaMelo Ball.

Técnico: James Borrego.

General Manager: Mitch Kupchak.

CHICAGO BULLS

A franquia de Illinois chega para essa temporada com um elenco jovem e com potencial para desenvolvimento em todas as posições. Com uma conferência Leste mais equilibrada, o time precisará mostrar mais competitividade e constância para voltar aos playoffs

O que mudou: Com a missão de fazer florescer esse elenco, a franquia contratou Billy Donovan, ex-técnico do Oklahoma City Thunder, onde fez excelente trabalho no que diz respeito ao desenvolvimento de jovens como Luguentz Dort e Shai Gilgeous-Alexander, levando a franquia ao jogo 7 contra o Houston Rockets na primeira rodada dos playoffs

Novamente, a estrela da equipe será Zach Lavine: o ala-armador de 25 anos – que fez em média 25,5 pontos por jogo em 2019/2020 – precisará ajudar a equipe a ser mais eficiente no ataque, tendo em vista que, na temporada passada, o desempenho nesse quesito foi péssimo, ficando em penúltimo lugar. Além disso, os Bulls perderam Kris Dunn, armador especialista em defesa. 

Já Coby White, Lauri Markkanen e Wendell Carter Jr. são peças com bastante potencial e que terão a oportunidade de crescer, sobretudo White, com sua agressividade e pontuação de alto volume, devendo-se atentar para a química entre ele e LaVine se estiverem em quadra juntos. 

Vale ainda ressaltar que, com a quarta escolha no draft, o Chicago selecionou Patrick Williams, o ala vindo de Florida State, o que gerou grande descontentamento e surpresa entre os fãs do time, receosos quanto à essa manobra por parte do front-office. Destaque também para o brasileiro Cristiano Felício, que permanece no plantel.  

Parece, portanto, que a classificação dos Bulls aos playoffs em 2020-2021 é muito improvável.

Elenco completo: Tomás Satoransky, Ryan Arcidiacono, Devon Dotson, Garett Temple, Denzel Valentine, Adam Mokoka, Patrick Williams, Chandler Hutchinson, Thaddeus Young, Cristiano Felício, Luke Kornet e Daniel Gafford. 

Principais jogadores: Coby White, Zach LaVine, Otto Porter Jr., Lauri Markkanen e Wendell Carter Jr.

Técnico: Billy Donovan

General Manager: Marc Eversley

CLEVELAND CAVALIERS

O Cleveland Cavaliers ainda não reencontrou o caminho para as vitórias após a saída de LeBron James. Na última temporada, o time teve o recorde de 19-46 e ficando apenas na 15º colocação na Conferência Leste. 

O que mudou: A grande expectativa da temporada está no calouro Isaac Okoro, draftado na 5º posição no Draft 2020. A franquia também aposta em uma reconstrução com jovens jogadores como Collin Sexton e Darius Garland. Além disso, o elenco conta com jogadores veteranos como JaVale McGee, adquirido recentemente através de uma troca, Andre Drummond, que ainda é circundado de expectativas desde sua chegada na temporada passada e Kevin Love, o único remanescente do título do Cavaliers de 2016.

Elenco: Larry Nance Jr., Marques Bolden, Matthew Dellavedova, Damyean Dotson, Dante Exum, Darius Garlnad, Thon Maker, JaVale McGee, Matt Monney, Cedi Osman, Levi Randolph, Lamar Stevens, Dean Wade, Dylan Windler. 

Principais jogadores: Collin Sexton, Isaac Okoro, Kevin Love, Andre Drummond,
Kevin Porter Jr

Técnico: J. B. Bickerstaff

General Manager:  Koby Altman

DALLAS MAVERICKS

Para ir além da primeira rodada dos playoffs, quando caíram diante do Los Angeles Clippers, o Dallas Mavericks apostou no reforço da defesa, já que no lado ofensivo ( o ponto forte do time) tem o fenômeno Luka Doncic no comando. Indo para sua 3ª temporada na NBA, Doncic lidera as casas de apostas para MVP em 2021, depois de já ter sido o 4º mais votado em 2020. Mas para isso acontecer o Dallas precisa vencer mais jogos e avançar para além da 1 rodada, no mínimo, rumo a uma semifinal de conferência. Sem isso será difícil o prêmio de MVP ser de Doncic. Daí os investimentos do General Manager Donnie Nelson em bons defensores laterais como o ala-pivô Tyler Bey, do Draft, Josh Green e Josh Richardson (ex- 76ers), que veio em troca com o Philadelphia por Seth Curry. Richardson  deve auxiliar Doncic nas construção de jogadas, poupando o ala esloveno para momentos decisivos, como o da épica bola de 3 contra os Clippers, na bolha. Um problema deste início de temporada é a ausência de Kristaps Porzingis, contundido, e que deve retornar só em 2021. Com o time completo, as chances do Dallas avançar na conferência Oeste aumentam bastante e tão aguardado MVP para Doncic possa se tornar realidade.

O que mudou: Chegaram Tyreel Terry, Tyler Bey, Josh Green, Josh Richardson, Devonte Patterson, Nate Hinton, Wesley Iwundu e James Johnson. Saíram, Seth Curry, J.J. Barea, Josh Reaves, Antonius Cleveland, Justin Jackson, Michael Kidd-Gilchrist, Delon Wright.

Elenco: Tyler Bey(ala), Jalen Brunson (armador),Trey Burke (armador), Willie Cauley-Stein (pivô), Luka Doncic (ala-armador), Dorian Finney-Smith (ala), Josh Green (armador), Tim Hardaway Jr (ala-armador), Nate Hinton (armador),Wes Iwundu (armador), James Johnson (armador), Maxi Kleber (ala), Courtney Lee (armador), Boban Marjanovic (pivô), Devonte Patterson (ala), Kristaps Porzingis (ala-pivô), Dwight Powell (ala-pivô), Josh Richardson (armador), Tyrell Terry (armador).

Principais jogadores: Luka Doncic, Kristaps Porzingis, Josh Richardson e Boban Marjanovic.

Técnico: Rick Carlisle

General Manager: Donnie Nelson

DENVER NUGGETS

Um dos times que mais chamou atenção nos últimos playoffs por virar duas vezes uma série de 3 – 1 (primeira vez que isso acontece na história da liga), aposta no desenvolvimento de suas duas peças chaves: Jamal Murray e Nikola Jokic. Pode se dizer que é um dos fortes candidatos ao título essa temporada.

O que mudou: O reforço de Facundo Campazzo, argentino de 29 anos, que tem como ponto forte ser um excelente passador e armador clássico para compor a segunda unidade do time dando mais estabilidade a equipe. Denver aposta também em Bol Bol, um jogador versátil que pode jogar tanto na posição 4 quanto 5 e que chama bastante atenção por conseguir transitar com agilidade nos dois lados da quadra, além de ter um aproveitamento bom do perímetro. Bol vem adquirindo experiência ao lado de Jokic, o melhor pivô da liga atualmente, e promete ser uma arma forte do Denver Nuggets. A equipe também conta com o desenvolvimento de Michael Porter Jr que fez diferença para equipe nos últimos playoffs. O ala deve receber mais minutos de jogo e ser uma peça chave na equipe.

Nugetts perdeu Jerami Grant, Torray Craig e Mason Plumlee como referências defensivas, mas conta com o reforço de JaMychal Green e ainda tem Paul Millsap como figura experiente na equipe. 

Além disso adicionou os rookies RJ Hampton, Zeke Nnaji, Markus Howard e Greg Whittington. Os dois últimos com contratos two-way.

Elenco: Jamal Murray, Nikola Jokic, Michael Porter Jr, Paul Millsap, Gary Harris, Will Barton, Bol Bol, Facundo Campazzo, Vlatko Cancar, PJ Dozier, JaMychal Green, RJ Hampton, Isaiah Hartenstein, Markus Howard, Monte Morris, Zeke Nnaji e Greg Whittington.

Principais Jogadores: Jamal Murray e Nikola Jokic.

Técnico: Michael Malone.

General Manager: Calvin Booth.

GOLDEN STATE WARRIORS

Depois de uma temporada “a passeio” devido às lesões de Stephen Curry e Klay Thompson, o Golden State Warriors já era cotado como um dos favoritos para a disputa do título. Era. A nova lesão de Klay Thompson no início dos treinamentos coloca o Warriors em uma posição menos privilegiada, mas ainda assim, com chances de beliscar algumas coisas na temporada e a esperança tem nome, sobrenome e apelido. Stephen Curry, o Brinquedinho Assassino. Claro que a ausência de Thompson em mais uma temporada coloca todos os planos em xeque, mas o Warriors fez um bom trabalho no mercado para preencher as lacunas e tentar, mais do que sobreviver, brigar no Oeste selvagem. Para isso, o Warriors precisa que Draymond Green seja, novamente, o jogador confiável que foi nas campanhas dos títulos e que não apareceu na temporada passada.

O que mudou: A lesão de Klay Thompson obrigou o Warriors a mudar a rota no meio do planejamento e o draft já foi pensado justamente na lacuna deixada por ele. A principal mudança em relação à temporada passada é o retorno de Steph Curry que, nos jogos de pré-temporada, já mostrou que é o mesmo MVP unânime de sempre. Entre as adições, destaque para Kelly Oubre Jr., um scorer que a equipe precisa neste momento.

Além de Oubre, chegaram: Kent Bazemore, Brad Wanamaker, Nico Mannion e James Wiseman. Saíram: Ky Bowman, Jacob Evans, Zach Norvell, Omari Spellman e Juan Toscano-Anderson.

Elenco: Stephen Curry, Brad Wanamaker, Nico Mannion, Kent Bazemore, Mychal Mulder, Damion Lee, Jordan Polle, Andrew Wiggins, Kelly Oubre Jr., Erich Paschall, Draymond Green, Marquese Chriss, Allen Smailagic, James Wiseman, Kevon Looney.

Principais jogadores: Stephen Curry, Draymond Green e Kelly Oubre Jr.

Técnico: Steve Kerr

General Manager: Bob Myers

HOUSTON ROCKETS

Há anos, o Houston Rockets sempre é um dos contenders ao título, tendo batido na trave contra os Warriors várias vezes e, em 2019/2020, contra os Lakers. Depois da derrota na segunda rodada por 4-1, o time tem enfrentado uma pré-temporada bastante caótica nos bastidores e, com um elenco bem reformulado, é difícil prever exatamente até onde pode ir, principalmente se Harden sair. 

O que mudou: O Houston Rockets é um dos times mais remodelados, desde o front-office até o elenco, para a temporada 2020/2021. A estrela Russell Westbrook foi trocada com John Wall, do Washington Wizards, desfazendo a dupla de amigos com Harden; ainda, o técnico Mike D’Antoni, que esteve à frente da equipe desde 2016, foi contratado como assistente de Steve Nash no Brooklyn Nets, sendo substituído por Stephen Silas. 

Outra perda foi a do ala Robert Covington, mas, em contrapartida, os Rockets decidiram apostar em dois grandes jogadores que vinham sendo assombrados por lesões: o versátil pivô DeMarcus Cousins – que não jogava há mais de um ano – e o talentoso armador John Wall, inativo desde dezembro de 2018, ressaltando que ambos foram companheiros de equipe também na Universidade de Kentucky. A julgar pelo que exibiram nos jogos de pré-temporada, pode ter sido uma ótima aposta da franquia texana. Ainda, houve a aquisição do talentoso ala Christian Wood para reforçar o elenco.

Importante destacar a permanência de Eric Gordon e P.J. Tucker, dois jogadores fundamentais, tanto pela sua defesa, quanto pela sua garra, e do nosso brasileiro Bruno Caboclo. 

Por fim, Daryl Morey, aquele que causou o incidente diplomático com a China na pré-temporada passada, foi anunciado GM da equipe do Philadelphia 76ers. 

Apesar dos rumores quase diários de possíveis destinos de James Harden, que já manifestou o desejo de sair, a expectativa é que os Rockets, principalmente com Harden ainda no comando, consigam avançar aos playoffs, mantendo a maior sequência ativa de pós-temporada na NBA, com nove anos seguidos. 

Elenco completo: Sterling Brown, Bruno Caboclo, DeMarre Carroll, Tyson Chandler, Chris Clemons, Michael Frazier, Geraid Green, Danuel House Jr., William Howard, Mason Jones, KJ Martin Jr., Ben McLemore, David Nwaba, Thabo Sefolosha, Jae’Sean Tate, Brodric Thomas. 

Principais jogadores: John Wall, James Harden, P.J. Tucker, Christian Wood e DeMarcus Cousins

Técnico: Stephen Silas

General Manager: Rafael Stone 

INDIANA PACERS

O Indiana Pacers não fez muitas movimentações na offseason, mas mesmo assim pretende voltar aos playoffs com facilidade, provavelmente não consiga mando de quadra mas deve ser presença certa na fase eliminatória da competição.

O que mudou: A equipe aposta no nome de Nate Bjorkgren para substituir Nate McMillan. Bjorkgren que foi campeão da g-league na temporada 10/11 ocupava o cargo de assistente técnico no Toronto Raptors e trabalhou durante 14 anos com Nick Nurse, head coach da equipe. Espera que a vinda dele possa consolidar a equipe, aliado a melhor versão de Victor Oladipo e desenvolvimento de T.J Warren, destaque da equipe na última temporada na bolha. Domantas Sabonis também é uma arma da equipe que pretende ao menos passar da primeira fase nos playoffs apostando em sua excelente defesa.

Além disso, Pacers adicionou o rookie Cassius Stanley, guard de Duke, que deve ter um contrato two-way.

Elenco: Malcolm Brogdon, Victor Oladipo, T.J. Warren, Domantas Sabonis, Myles Turner, Goga Bitadze, Brian Bowen II, Amida Brimah, Rayshaun Hammonds, Aaron Holiday, Justin Holiday, Jeremy Lamb, Jalen Lecque, Kelan Martin, T.J. McConnell, Doug McDermott, Naz Mitrou-Long, JaKarr Sampson, Cassius Stanley, Edmond Sumner.

Principais jogadores: Victor Oladipo e T. J. Warren.

Técnico: Nate Bjorkgren

General Manager: Chad Buchanan.

LOS ANGELES CLIPPERS

Após a eliminação traumática na segunda rodada dos playoffs para o Denver Nuggets, em que liderava a série por 3-1, o Los Angeles Clippers chega nesta temporada sob a pressão de deixar para trás o vexame, mostrar a força do elenco, que era considerado o mais profundo da liga e, quem sabe, enfim ser campeão pela primeira vez na história. 

O que mudou: Depois da derrota prematura, o Los Angeles Clippers precisava repensar o elenco, mantendo obviamente a dupla central Kawhi Leonard e Paul George, mas sendo necessário suprir a posição de armador e trazer jogadores com perfil de liderança, algo que faltou na temporada passada. 

Nesse sentido, como forma de reforçar a permanência de Kawhi em Los Angeles e evitar que se torne um free agent  ao fim dessa temporada, a franquia assinou a extensão do contrato de George até 2025, tida como prioridade depois do grande número de jogadores e escolhas de draft cedidos ao OKC para adquirir o jogador no início de 2019. 

A negociação mais surpreendente foi a saída de Montrezl Harrell para o grande rival, mas que foi suprida pela chegada do pivô Serge Ibaka, ainda mais versátil e forte defensivamente, e de Nicolas Batum. Além disso, o ala-armador Luke Kennard, dos Pistons, veio acrescentar qualidade do perímetro e, para fechar o elenco, Patrick Beverley, Marcus Morris Sr. e o jovem Ivica Zubac permaneceram no time. 

Outra troca aconteceu, porém no comando da equipe: Doc Rivers foi substituído por Tyronn Lue, seu então assistente e campeão pelos Cavs em 2016 com LeBron James. 

Elenco completo: Amir Coffey, Nicolas Batum, Reggie Jackson, Mfiondu Kabengele, Luke Kennard, Terance Mann, Daniel Oturu, Patrick Patterson, Jay Scrubb, Rayjon Tucker. 

Principais jogadores: Patrick Beverley, Paul George, Kawhi Leonard, Marcus Morris e Ivica Zubac.

Técnico: Tyronn Lue 

General Manager: Michael Winger.

LOS ANGELES LAKERS

O Los Angeles Lakers chega à temporada 2020/2021 como o atual campeão, tendo conquistado o 17º troféu na “bolha” em Orlando, e com elenco ainda mais forte para defender o título e se tornar o maior campeão da história da NBA. 

O que mudou: Com a mentalidade de que os campeões precisam ser ainda melhores para defender o título, a diretoria do Lakers fez um grande trabalho durante a free agency, assinando as extensões dos contratos da dupla LeBron – até 2023 – e Anthony Davis – até 2025 -, mantendo peças centrais do elenco, como Kentavious Caldwell-Pope e Markieff Morris, mas além de tudo, fez grandes manobras e trouxe o ala-pivô Montrezl Harrell, melhor sexto-homem da temporada passada, o armador Dennis Schröder, segundo melhor sexto-homem, Wesley Matthews e Marc Gasol. 

É bem verdade que o elenco está bastante reconfigurado, depois das saídas dos líderes veteranos Rajon Rondo, Danny Green, Javale McGee e Dwight Howard, mas também bastante rejuvenescido, o que pode ajudar LeBron a continuar na briga por títulos por muitos anos ainda. 

Elenco completo: Alex Caruso, Alfonzo Mckinnie, Devontae Cacok, Jared Dudley, Kyle Kuzma, Kostas Antetokounmpo, Talen Horton-Tucker, Quinn Cook, Wesley Matthews.

Time titular: LeBron James, Anthony Davis, Kentavious Caldwell-Pope, Dennis Schröder e Marc Gasol. 

Técnico: Frank Vogel

General Manager: Rob Pelinka

ORLANDO MAGIC

Com campanha de 33-40, o Orlando Magic conseguiu a classificação para os Playoffs em sétimo lugar na temporada passada, o time da Flórida aspira na temporada 2020-21 um desempenho para levar novamente a franquia aos Playoffs.

O que mudou: Após conseguir se classificar para os Playoffs nos últimos dois anos, agora o Magic se reforça para se estabelecer como um time regular dentro da Conferência Leste. A única escolha do time no Draft 2020 foi Cole Anthony, na 15º colocação. O Magic também adquiriu o ala-armador Dwayne Bacon pela free agency e o armador Karim Mané, como um free agent não draftado.

Elenco completo: Al-Farouq Aminu, Cole Anthony, Mo Bamba,
Khem Birch, Jordan Bone, Devin Cannady, Michael Carter-Williams, Gary Clark, James Ennis III, Karim Mané.

Principais jogadores: Evan Fournier, Markelle Fultz, Dwayne Bacon, Aaron Gordon, Nikola Vucevic

Técnico: Steve Clifford

General Manager: John Hammond

MEMPHIS GRIZZLIES

Apesar de ter uma das jovens duplas mais promissoras da NBA, Ja Morant e Jaren Jackson Jr.,o Memphis Grizzlies tem uma tarefa difícil de completar: conseguir uma classificação para os playoffs numa conferência Oeste ainda mais forte em 2021. Por exemplo, Jackson Jr. vai perder o  início da (curta) nova temporada por ainda estar se recuperando de lesão. Ele é um ponto importante na defesa de um time que carece de outros talentos para balancear a ausência de uma de suas duas estrelas. A sorte pode mudar se o substituto direto de Jackson Jr.,  Brandon Clarke, fizer jogos tão bons como os da última temporada e, talvez, se as novas aquisições vindas do Draft tiverem um primeiro ano tão explosivo quanto foi o de Morant em 2020 – ele foi eleito o Rookie of the Year. Talvez assim, o time possa surpreender (como na bolha) e, quem sabe, estar no play-in da conferência. Mas o jovem técnico Taylor Jenkins tem um time que ainda depende muito do poder ofensivo de Morant e das habilidades defensivas de Jaren Jackson Jr. Infelizmente, sem um fator surpresa, dificilmente os Grizzlies chegam aos playoffs.

O que mudou: Chegaram os jovens Desmond Bane e Xavier Tillman, do Draft 2020; Sean McDermott e  Killian Tillie (novatos não draftados) e Mario Hezonja (ex Portland). Saíram Yuta Watanabe, Josh Jackson, Anthony Tolliver, Mario Hezonja, Marko Guduric.

Elenco: Grayson Allen (armador), Kyle Anderson (ala-armador), Desmond Bane (armador), Dillon Brooks (ala-armador), Brandon Clarke (ala-armador), Gorgui Dieng (pivô), Jaren Jackson Jr.(ala-armador), Tyus Jones (armador), John Konchar (armador), Sean McDermott (ala), De’Anthony Melton (armador), Ja Morant (armador), Jontay Porter (ala-pivô), Killian Tillie (ala-pivô), Xavier Tilman (ala), Jonas Valanciunas (pivô) e Justice Winslow (ala-armador)

Principais jogadores: Ja Morant, Jaren Jackson Jr, Brandon Clarke

Técnico: Taylor Jenkins

General Manager: Zach Kleiman

MIAMI HEAT

Depois de chegar à decisão da temporada 2019-20 da NBA de forma inesperada, o até então improvável Miami Heat vem para a próxima temporada na expectativa de figurar novamente entre os concorrentes ao título.

O que mudou: A expectativa para a temporada é que jogadores de destaque como Jimmy Butler e Bem Adebayo sejam novamente os líderes da equipe, e que jovens como Tyler Hero e Duncan Robinson continuem a se desenvolver e firmem-se na liga. 

A equipe do Miami Heat adquiriu o ala-pivô Precious Achiuwa na 20º posição, um dos prospectos estrangeiros mais desejados do Draft. A adição mais interessante ao time foi a do ala-armador Avery Bradley, que deixou o Lakers, time que não atuava desde antes da pandemia, quando se recusou a jogar na bolha. Outra adição ao time foi o ala Maurice Harkless, vindo do New York Knicks. O “revés” mais sentido pela equipe de Miami talvez seja a saída de Jae Crowder do time. O ala tinha tinha médias de aproveitamento de 44% na linha dos três pontos.

Elenco completo:Tyler Hero, Goran Dragic, Precious Achiuwa, Andre Iguodala, Avery Bradley, Kelly Olynyk, Kezie Okpala., Meyers Leonard

Principais jogadores: Jimmy Butler, Tyler Hero, Maurice Harkless, Duncan Robinson, Bem Adebayo.

Técnico: Erik Spoelstra

General Manager: Andy Elisburg

MINNESOTA TIMBERWOLVES

A maior expectativa para o Minnesota Timberwolves para a temporada 2020-21 é a expectativa se a jovem dupla D’Angelo Russel e Karl-Anthony Towns conseguem levar a franquia aos Playoffs da Conferência Oeste.

O que mudou: O Minnesota Timberwolves foi umas das franquias que melhor se reforçou no Draft 2020 — pelo menos no quesito de posição. Além da primeira escolha com Anthony Edwards, o Magic draftou o cobiçado ala-armador argentino Leandro Bolmaro na 23º posição e o ala Jaden McDaniels na 28º posição. Outra vinda — ou melhor, retorno — foi do experiente armador Ricky Rubio que já atuou em seis temporadas pela equipe do Timberwolves.

Elenco completo:  Malik Beasley, Jarret Culver, Ed Davis, Ashton Hagans, Jake Layman, Jaden McDaniels, Jaylen Nowell, Josh Okogie, Naz Reid e Jarred Vanderbilt.

Principais jogadores: Rick Rubio, D’Angelo Russel, Anthony Edwards, Juancho Hernangomez, Karl-Anthony Towns.

Técnico: Ryan Saunders

General Manager: Scott Layden

MILWAUKEE BUCKS

Campeão de 2020/2021. Essa meta pode ser antiga, mas tornou-se urgente quando o time faz a melhor campanha do Leste, tem o MVP da temporada, mas perde significativamente volume de jogo nos playoffs. As movimentações do Milwaukee Bucks para conseguir chegar a final da NBA não foram poucas: depois de se envolveram numa confusão envolvendo uma troca com Bogdan Bogdanovic, que recusou ir para Milwaukee, optando pelo Atlanta Hawks, os Bucks trouxeram o excelente armador Jrue Holiday, em troca com o New Orleans Pelicans. Bom nos dois lados da quadra,  deve ser o responsável por organizar as jogadas sem comprometer a defesa. Também chegaram o pivô Bobby Portis (ex- Knicks), para cobrir as saídas de Robin Lopez e Ersan Ilyasova, e o armador D.J. Augustin, que estava no Orlando Magic. A saída de Wes Matthews para os Lakers pode dar a Donte DiVicenzo a oportunidade de ser titular e auxiliar Giannis na parte ofensiva. Após confirmar a extensão contratual de Antetokounmpo por mais 5 anos, a expectativa é os Bucks vencerem essa “maldição” de perder nos playoffs e chegarem à final, em junho. Para isso, o técnico Budenholzer, além de fazer um bom encaixe dos novos reforços, tem de arriscar aumentar o tempo de quadra de Giannis. Os números não mentem: com 30min em quadra, o grego conseguiu médias de 29,5pts, 14 rebotes e 6 assistências por jogo. No fim, ele é a diferença que põe todo ano o Milwaukee Bucks como favorito à final.

O que mudou: Chegaram: Jrue Holiday, Sam Merril, Jordan Nwora, Bryn Forbes, D. J. Augustin, Nik Stauskas, Torrey Craig, Bobby Portis, Treveon Graham. Saíram: Wesley Matthews, Robin Lopez, Eric Bledsoe, Ersan Ilyasova, George Hill, Kyle Korver, Marvin Williams, Sterling Brown, Dragan Bender.

Elenco:Jaylen Adams (armador), Giannis Antetokounmpo (ala), Thanasis Antetokounmpo (ala), D.J. Augustin (ala), Pat Connaughton (armador), Torrey Craig (ala), Mamadi Diakite (ala), Donte DiVicenzo (armador), Bryan Forbes (armador), Jrue Holiday (armador), Brook Lopez (pivô), Sam Merrill (armador), Khris Middleton (ala), Jordan Nwora (ala), Bobby Portis (ala), D.J. Wilson (ala).

Principais jogadores: Giannis Antetokounmpo (ala), Khris Middleton (ala), Jrue Holiday (armador), D.J. Augustin (ala), Donte DiVicenzo  e  Brook Lopez (pivô).

Técnico: Mike Budenholzer

General Manager: Jon Horst

NEW ORLEANS PELICANS

O New Orleans Pelicans talvez seja um dos times com maior hype essa temporada, muito por sua estrela Zion Williamson, que finalmente poderá jogar uma temporada inteira caso permaneça saudável, que também é uma das maiores dúvidas. Além disso Brandon Ingram, MIP na última temporada, é uma arma da equipe para conseguir chegar aos playoffs.

O que mudou: Pelicans acertou uma renovação contratual com Brandon Ingram de 158 milhões de dólares por 5 anos, oferecendo tudo que podia para apostar no jovem Ala de 23 anos a longo prazo com Zion. Ingram fez sua melhor temporada da carreira desde que entrou na liga. Além disso a equipe perdeu Jrue Holiday envolvido em troca para o Bucks e recebeu Eric Bledsoe, que não foi exatamente um bom negócio para equipe. Zion e Ingram ainda tem a chegada de Steve Adams fechando um forte garrafão para a temporada 20/21 e reforçando que seu jogo será principalmente em transição nesses 3 jogadores. O elenco de apoio ainda possui JJ Redick, Jaxson Hayes, Josh Hart e Nickeil Alexander-Walker que ajudarão na briga por vaga nos playoffs. 

A equipe ainda tem a chegada de Jarrod Uthoff, Wenyel Gabriel, Willy Hernangomez e Tony Carr. O brasileiro Didi, draftado na segunda rodada do draft 19/20, permanece na Austrália por opção do Pelicans para desenvolver seu basquete e quem sabe ajudar a equipe na próxima temporada. 

Além disso, Pelicans conta com os rookies Kira Lewis, Naji Marshall, Will Mgnay e Sam Merrill com contrato two-way.

Elenco: Lonzo Ball, Eric Bledsoe, Brandon Ingram, Zion Williamson, Steve Adams, Nickel Alexander-Walkerm Rawle Alkins, Ike Anigbogu, Tony Carr, Wenyel Gabriel, Josh Hart, Jaxson Hayes, Willy Hernangomez, Kira Lewis Jr, Will Magnay, Naji Marshall, Nicolo Melli, Nicolo Melli, Sindarius Thornwell, Jarrod Uthoff.

Principais Jogadores: Zion Williamson e Brandon Ingram.

Técnico: Stan Van Gundy.

General Manager: Trajan Langdon.

NEW YORK KNICKS

O New York Knicks parece apostar em uma estrada para o futuro. Primeiro, contratou Leon Rose, um ex-agente que cuidava da carreira de atletas como Devin Booker e Paul George. Depois, investiu no experiente treinador Tom Thibodeau, ex-Minnessota Timberwolves e Chicago Bulls, e liberou espaço no cap para novas contratações, mas o investimento não foi em grandes estrelas, como no passado: vieram Alec Burks (ex- 76ers), Nerlens Noels (ex- OKC) e Austin Rivers ( filho de Doc e ex- Houston Rockets). Parece que os Knicks têm fugido de contratos milionários com estrelas em fim de carreira e investido em jogadores jovens mesclados com atletas um pouco mais experientes como Julius Randle e Elfrid Payton. Dos novatos, a esperança recai sobre RJ Barrett e Obi Toppin, esse draftado em 2020. Espera-se que Thibodeau monte uma boa defesa com Nerlens Noel/Julius Randle de dupla titular, mas quem a torcida do Knicks quer mesmo são Toppin/Robinson, que devem, em princípios, serem reservas.

Na parte ofensiva a equipe deixa a desejar. Talvez por isso os Knicks estejam em último lugar em todas as previsões para temporada 2020/2021. É um time jovem, mas sem grandes chances de chegar aos playoffs

O que mudou: Chegaram Alec Burks, James Young, Omari Spellman,  Austin Rivers, Jared Harper, Michael Kidd- Gilchrist, Theo Pinson, Nerlens Noel, Myles Powell, Immanuel Quickley e Obi Toppin. Sairam: Bobby Portis, Taj Gibson, Damyen Dotson, Kademm Allen, Alonzo Tier, Wayne Ellington.

Elenco: RJ Barrett (armador), Ignas Brazdeikis (ala), Bryce Brown (armador), Reggie Bullock (ala-armador), Alec Burgs (armador), Jared Harper (armador), Michael Kidd-Gilchrist (ala), Kevin Knox II (ala), Nerlens Noel (pivô), Frank Ntilikina (armador), Elfrid Payton (armador), Theo Pinson (ala-armador), Myles Powell (armador), Immanuel Quickley (armador), Julius Randle (ala), Austin Rivers (armador), Mitchell Robinson (pivô), Dennis Smith Jr. (armador), Omari Spellman (ala), Obi Toppin (ala-pivô).

Principais jogadores: Mitchell Robinson, RJ Barrett, Kevin Knox, Obi Toppin, Frank Ntilikina.

Técnico: Tom Thibodeau

General Manager: Leon Rose

OKLAHOMA CITY THUNDER

O time é a maior incógnita da temporada. O general manager, Sam Presti, decidiu reformular todo o elenco e manteve apenas os jogadores mais novos. Dentre os nomes mais famosos o pivô neozelandês, Steven Adams, foi enviado para o Pelicans e Chris Paul chegou no time de Arizona para trazer esperanças de que a franquia chegue aos playoffs após quase dez anos. 

O que mudou: O time coleciona picks para os próximos drafts e já nesse ano escolheu a dedo dois jogadores com futuro promissor, o sérvio Aleksej Pokusevski e o francês Theo Maledon. O plano de tornar Shai Gilgeous-Alexander a estrela da franquia continua a todo vapor. 

Novos jogadores foram adicionados ao time – Al Horford e George Hill chegam para trazer experiência e maturidade a equipe – que também conta com um novo treinador, o antigo assistente de Billy Donovan, Mike Daigneault de apenas 35 anos. A previsão é de que a franquia acabe a temporada em último lugar na conferência Oeste, mas como já vimos na temporada passada, o time de Oklahoma é capaz de feitos inacreditáveis. 

Elenco: Trevor Ariza, Darius Bazley, Moses Brown, Hamidou Diallo, Luguentz Dort, Shai Gilgeous-Alexander, Josh Hall, George Hill, Al Horford, Franck Jackson, Justin Jackson, Ty Jerome, Theo Maledon, Darius Miller, Mike Muscala, Aleksej Pokusevski, Isaiah Roby, Kenrich WIlliams.
Principais jogadores: Shai Gilgeous-Alexander, Al Horford, George Hill e Hamidou Diallo

Técnico: Mike Daigneault

General Manager: Sam Presti

PHILADELPHIA 76ERS

O processo continua em Philly, que manteve o alicerce da equipe em Joel Embiid e Ben Simmons. Com temporadas consecutivas de “falha no processo”, o Sixers buscou um encaixe melhor para a temporada, peças que possam espaçar a quadra, deixar as duas estrelas jogarem e suprir uma necessidade grande: o perímetro.

As mudanças dentro e à beira da quadra podem dar ao Sixers uma temporada mais “leve”, com menos pressão, mais encaixe e, quem sabe, algumas rodadas a mais nos playoffs.

O que mudou: Muita coisa. A lista de saídas e chegadas é gigante, a começar por Doc Rivers, que trocou o Clippers pelo 76ers. Senta que lá vem a lista. Saíram: Al Horford (OKC), Josh Richardson (Dallas), Raulzinho (Wizards), Zhaire Smith (Pistons), Alec Burks (Knicks), Glenn Robinson III, Kyle O’Quinn, Jonah Bolden e Norvel Pelle (agentes livres).

Chegaram: Seth Curry, Danny Green, Dwight Howard, Vincent Poirier, Tony Bradley, Justin Anderson, Terrance Ferguson, Tyrese Maxey, Isaiah Joe, Paul Reed e Dakota Mathias.

As frequentes lesões de Embiid e Simmons são um ponto de interrogação e um dos problemas que o 76ers precisa resolver para manter a equipe competitiva, afinal, o processo foi montado para os dois e, apesar de ter sido refeito ano após ano, os dois continuam sendo a base da equipe.

Elenco: Ben Simmons, Shake Milton, Seth Curry, Terrance Ferguson, Tyrese Maxey, Furkan Korkmaz, Dakota Mathias, Matisse Thybulle, Danny Green, Justin Anderson, Paul Reed, Mike Scott, Tobias Harris, Tony Bradley, Vincent Poirier, Dwight Howard e Joel Embiid.

Principais jogadores: Joel Embiid, Ben Simmons e Tobias Harris.

Técnico: Doc Rivers

General Manager: Elton Brand

PHOENIX SUNS

O time vem tentando uma reestruturação há algum tempo, com Booker e De’Andre Ayton sendo as duas maiores esperanças da franquia para a volta por cima na conferência Oeste. A temporada na bolha foi, sem dúvidas, um divisor de águas. Com a melhor campanha em Orlando, o suns não conseguiu se classificar aos playoffs por pouco, mas animou até quem não é torcedor. 

O que mudou: Chris Paul chegou, o armador mais badalado da última temporada, responsável pelo sucesso incontestável de OKC, estava sendo desejado por quase todos os times da NBA e quem se deu essa foi o Phoenix Suns, que mandou em troca Kelly Oubre Jr – indo parar no Warriors – e Ricky Rubio – que volta para seu antigo time, Minnessota Timberwolves – mas com certeza ganhou nessa troca. 

Saíram também Aaron Baynes, Frank Kaminsky, Ty Jerome e Jalen Leque. Os novos jogadores, além de Chris Paul, são Jae Crowder, Damian Jones, Langston Galloway, Abdel Nader, E’Twaun Moore, além de Jalen Smith que chega através do draft.

O time liderado por Monty Williams deve ter a maior chance de playoffs nos últimos 7 anos da franquia. Devin Booker por exemplo, nunca sentiu o gostinho de jogar a pré temporada, mas com Chris Paul as chances são maiores do que nunca. É um time para ficar de olho!
 

Elenco: Ty-Shon Alexander, DeAndre Ayton, Devin Booker, Mikal Bridges, Jevon Carter, Jae Crowder, Langston Galloway, Cameron Johnson, Damian Jones, E’Twaun Moore, Abdel Nader, Chris Paul, Cameron Payne, Dario Saric, Jalen Smith
Principais jogadores: Devin Booker, Chris Paul, DeAndre Ayton

Técnico: Monty Williams

General Manager: James Jones

PORTLAND TRAIL BLAZERS

O desafio dos Blazers é fazer uma campanha, no mínimo, tão boa quanto aquela da temporada 2019, ano em que o time chegou à final da conferência Oeste, sendo derrotado pelo Golden State Warriors. Não vai ser fácil, mas na agência livre reforçaram a defesa ao repatriar o pivô Enes Kanter e trazer os alas Robert Covington e Derrick Jones. Ainda tem a boa recuperação física (pós contusão) demonstrada pelo pivô titular Jusuf Nurkic na bolha. Caso jogo em alto nível, as pretensões dos Blazers de fazerem uma campanha sem depender de play-in, brigando até por mando de quadra aumentam.

Se a parte defensiva melhorou, a ofensiva continua a contar com os talentos excepcionais do armador Damian Lillard, a estrela do time e cujas atuações dos últimos playoff lhe renderam o título de MVP da bolha, dos bons pontuadores CJ McCollum e Gary Trent Jr. e de Carmelo Anthony, o 6º homem do time, que após atuações redentoras na bolha da Disney, cumpriu a promessa de permanecer em Portland. 

O que mudou: Chegaram Robert Covington (Houston Rockets), Enes Kanter (Boston Celtics), Harry Giles (Sacramento Kings), Derrick Jones (Miami Heat), CJ Elleby (Draft, Universidade de Washington State). Saíram: Trevor Ariza (Oklahoma City Thunder), Mario Hezonja (Memphis Grizzlies), Wenyen Gabriel (New Orleans Pelicans) e Caleb Swanigan.

Elenco: Carmelo Anthony (ala), Keljin Blevins (armador); Zach Collins (ala-pivô), Roberto Covington (ala), CJ Elleby (ala-armador), Harry Giles (ala-armador), Rodney Hood (ala-armador), Derrick Jones Jr (ala), Enes Kanter (pivô), Damian Lillard (armador), Nassir Little (ala-armador), CJ McCollum (armador), Jusuf Nurkic (pivô), Anfernee Simons (armador), Gary Trent Jr (ala-armador).

Principais jogadores: Damian Lillard, CJ CcCollum, Jusuf Nurkic, Robert Covington, Derrick Jones Jr, Gary Trent Jr, Carmelo Anthony.

Técnico:Terry Stotts

General Manager: Neil Olshey

SACRAMENTO KINGS

A pré-temporada da equipe não foi das mais simples: além das incertezas quanto à permanência de Buddy Hield, a franquia perdeu seu maior astro, Bogdan Bogdanovic, para o Atlanta Hawks, depois de polêmica envolvendo os Bucks. A equipe da Califórnia vem novamente para a temporada sem muitas expectativas. 

O que mudou: O Sacramento Kings perdeu um de seus principais talentos em Bogdan Bogdanovic, o ala sérvio de 28 anos, que levou seus talentos para o Hawks, depois de ter sido noticiada, inicialmente, sua ida para os Bucks em uma sign-and-trade, que está inclusive sob investigação de tampering pela liga. Mesmo não sendo o melhor chutador do perímetro, o jogador teve média de 37,2% de aproveitamento dos arremessos de três pontos em 2019/2020, representando ameaça respeitável para a defesa adversária. 

No seu lugar, a franquia trouxe o veterano Hassan Whiteside, ala-pivô de 31 anos, excelente reboteiro e protetor de aro – com média de 2,9 tocos por partida na última temporada -, mas limitado no ataque. 

A equipe deposita então suas esperanças no trio de backcourt composto por De’Aaron Fox, Buddy Hield e Tyrese Haliburton, e no desempenho ofensivo de Harrison Barnes. 

Contudo, as chances reais de a equipe conquistar uma vaga na pós-temporada são, mais uma vez, bem escassas.

Elenco completo: Marvin Bagley III, Nemanja Bjelica, Corey Brewer, Vincent Edwards, Kyle Guy, Tyrese Haliburton, Richaun Holmes, Justin James, DaQuan Jeffries, Cory Joseph, Frank Kaminsky, Chimezie Metu, Jabari Parker, Jahmi’us Ramsey, Glenn Robinson III, Robert Woodard II. 

Principais jogadores: De’Aaron Fox, Buddy Hield, Harrison Barnes, Marvin Bagley e Hassan Whiteside

Técnico: Luke Walton

General Manager: Monte McNair 

SAN ANTONIO SPURS

Desde 1997 o San Antonio Spurs não ficava fora de playoffs, com a grande movimentação feita por franquias que devem concorrer a vaga ou a play-in com Spurs, não deve ser difícil que esse fato se repita. 

O que mudou: A maior movimentação da franquia foi o principal jogador da equipe, DeMar DeRozan exercer seu player option para ficar mais um ano em San Antonio por 27,7 milhões de doláres. DeRozan foi líder do time na última temporada e é o principal armador da franquia texana. Mesmo assim Spurs tem uma difícil caminhada se quiser chegar aos playoffs. O time que jogou na bolha a última temporada era composto majoritariamente por jovens (Dejounte Murray, Derrick White, Keldon Johnson e Lonnie Walker IV) que empolgaram a torcida mudando a dinâmica de jogo da equipe. O Spurs na bolha jogava de forma mais ágil e gerava melhor espaçamento, diferente do time “quadrado” com LaMarcus Aldridge que deve se repetir durante a temporada.

Outras movimentações de San Antonio foram Keita Bates-Diop, Cameron Reynolds, além disso os rookies Devin Vassell e Tre Jones do último draft.

Elenco: Dejounte Murray, Derrick White, DeMar Derozan, LaMarcus Aldridge, Jakob Poeltl, Keita Bates-Diop, Drew Eubanks, Rudy Gay, Keldon Johnson, Tre Jones, Trey Lyles, Patty Mills, Cameron Reynolds, Luka Samanic, Devin Vassell, Lonnie Walker IV, Quinndary Weatherspoon, Tyler Zeller.

Principais jogadores: DeMar DeRozan e LaMarcus Aldridge.

Técnico: Gregg Popovich.

General Manager: Brian Wright.

TORONTO RAPTORS

O campeão da temporada 18/19 não deve ter dificuldade em se classificar para os playoffs, uma vez que conseguiu manter a base principal do time e adicionou algumas peças aos roster. A grande incógnita é como sua principal aposta, após uma péssima performance nos últimos playoffs, Pascal Siakam irá jogar juntamente com Kyle Lowry, estrela da franquia canadense. 

O que mudou: A franquia acertou uma renovação de 85 milhões de dólares por 4 anos com Fred Vanvleet, mais uma aposta futura dos canadenses para ocupar o lugar de Kyle Lowry, que na próxima temporada já irá completar 36 anos e deve permanecer jogando por mais 2 anos somente. Além disso, a equipe trouxe reforços para o garrafão como Aron Baynes e Alex Len e renovou também com mais uma aposta: Chris Boucher. É certo que o Raptors irá ter que se readaptar após perder seus dois pivôs pra LA, Serge Ibaka que foi para o Clippers e Marc Gasol que assinou com o Lakers. A equipe também perdeu um membro de sua equipe técnica, Nate Bjorkgren, que assinou como head coach do Indiana Pacers mas fez sua reposição à altura com Chris Finch, ex Pelicans e especialista em trabalhos ofensivos.

A manutenção da equipe que disputou a última temporada é importante para que a equipe se garanta sem dificuldades nos playoffs e é nítido a grande aposta em seus jovens jogadores como OG Anunoby, Norman Powell, Matt Thomas, além dos já citados. Raptors também adicionou os rookies Malachi Flynn e Jalen Harris, esse último com contrato two-way.

Elenco: Kyle Lowry, Fred Vanvleet, OG Anunoby, Pascal Siakam, Aron Baynes, DeAndre Bembry, Chris Boucher, Oshae Brissett, Terece Davis II, Henry Ellenson, Malachi Flynn, Jalen Harris, Alize Johnson, Stanley Johnson, Alex Len, Patrick McCaw, Norman Powell, Matt Thomas, Yuta Watanabe, Paul Watson.

Principais jogadores: Pascal Siakam e Kyle Lowry.

Técnico: Nick Nurse.

General Manager: Bobby Webster.

UTAH JAZZ

Com Donovan Mitchell elevando o patamar pessoal e da equipe em um salto gigante em sua terceira temporada na NBA, o Utah Jazz manteve a base e trouxe algumas peças que tornam o elenco um dos mais completos para brigar pelas primeiras posições do Oeste. Além de manter a “espinha dorsal” da equipe, o Jazz repatriou o pivô Derrick Favors para sair do banco e manter a qualidade da rotação de Utah.

O que mudou: Com bons pontuadores e adições importantes para voltar a equilibrar a defesa, negligenciada em detrimento a potência ofensiva, o Jazz tem, ainda, a certeza de Rudy Gobert, que acertou sua extensão. No troca troca da offseason, mais chegadas do que saídas, tudo para equilibrar ainda mais o time comandado pelo jovem Spida Mitchell. Saíram: Emmanuel Mudiay (agente livre), Tony Bradley (76ers), Ed Davis (Timberwolves), Nigel Williams-Goss e Rayjon Tucker (agentes livres).

Chegaram: Derrick Favors, Shaquille Harrison, Yogi Ferrell, Udoka Azubuike, Elijah Hughes e Trent Forrest.

Elenco: Mike Conley, Yogi Ferrell, Trent Forrest, Donovan Mitchell, Shaquille Harrison, Miye Oni, Royce O’Neale, Joe Ingles, Bojan Bogdanovic, Elijah Hughes, Georges Niang, Juwan Morgan, Jarrell Brantley, Udoka Azubuike, Derrick Favors e Rudy Gobert.

Principais jogadores: Donovan Mitchell, Rudy Gobert, Mike Conley e Derrick Favors.

Técnico: Quin Snyder

General Manager: Justin Zanik

WASHINGTON WIZARDS

O time que foi sério contender até 2018 viu suas forças diminuírem com a lesão do astro John Wall no início de 2019, que volta para essa temporada após 2 anos só que agora no Houston Rockets. Ainda com a presença de Bradley Beal, o time buscou reforços importantíssimos para essa temporada e é um forte candidato aos playoffs do Leste.

O que mudou: Certamente a chegada de Russell Westbrook é uma das maiores trocas desta offseason, o MVP de 2017 com média de triple-double por 3 temporadas seguidas, assinou com o time e tem um dos maiores contratos da liga. A dupla Westbrook-Beal deve animar ainda mais os fãs que também gostaram das movimentações no time no draft.

E por falar em Draft, chega ao time a sensação israelense Deni Avidja, que já mostrou serviço na pré temporada e deve ser a peça chave vinda do banco. Soma-se isso aos bons jovens em desenvolvimento no time como Rui Hachimura, Troy Brown Jr. e Mo Wagner, e o futuro do time parece mais promissor do que esperávamos. 

O elenco ainda conta com dois pivôs em ascensão, Mo Wagner e Davis Bertans, que fizeram uma temporada interessante neste ano, especialmente no ataque, além da chegada do brasileiro Raul Neto. Mas o que realmente precisa ser trabalhado na temporada que começa hoje é a defesa. Em penúltimo lugar nesse quesito, o Wizard vai precisar marcar se quer chegar aos playoffs e Russell Westbrook traz a energia que eles precisavam para fazer acontecer e se reencontra com o treinador Scott Brooks (ex-OKC).

Elenco completo:  Deni Avdija, Bradley Beal, Davis Bertans, Isaac Bonga, Troy Brown Jr., Thomas Bryant, Anthony Gill, Rui Hachimura, Robin Lopez, Garrison Mathews, Raul Neto, Anzejs Pasecniks, Jerome Robinson, Ish Smith, Moritz Wagner, Russell Westbrook, Cassius Winston.

Principais jogadores: Bradley Beal, Russell Westbrook e Rui Hachimura.

Técnico: Scott Brooks

General Manager: Ernie Grunfeld

Texto: NBA das Mina

Categorias

NBA das Mina

Tags

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: