Ir para conteúdo

Conheça a história do pivô Alexandrino do basquete Unifacisa

Foto: Heloysa Guedes

Quem acompanhou a vitória, por 92 a 85, da Unifacisa sobre o Sesi Franca, uma das equipes de maior peso no cenário nacional e internacional do basquete, no último sábado, 19, pôde acompanhar um jogaço, mais um importante capítulo da história do esporte paraibano, mas também se deparou com a boa atuação de um iniciante nas quadras neste NBB, o pivô da Unifacisa, Fábio Alexandrino.

No início do terceiro quarto, a Unifacisa perdeu, por conta de uma lesão, um de seus principais jogadores, o pivô Alexandre Paranhos, que vinha fazendo a diferença dentro de quadra nos últimos jogos, chegando a anotar 3 duplo-duplos seguidos nas últimas partidas. Com isso, entrou em quadra o novato, Fábio Alexandrino, um dos jogadores da base da Unifacisa. Não bastasse ter que substituir um grande jogador, Alexandrino entrou em quadra com o time precisando reagir no placar, contra um adversário fortíssimo.

Vestindo a camisa 13, em homenagem a sua mãe que durante muitos anos também jogou basquete com este número, e carregando nas costas o sobrenome Alexandrino, do seu já falecido pai, Fábio fez bonito na sua estreia no NBB, marcou seus primeiros pontos e contribuiu muito para uma das maiores vitórias da Unifacisa no Novo Basquete Brasil.

Mas quem o vê em quadra, jogando na elite do basquete nacional, nem imagina que o seu primeiro esporte não foi o da bola laranja. Antes de entrar no basquete, aos 14 anos, Alexandrino, que é natural de Osasco – SP, foi um atleta do Atletismo e já teve que enfrentar vários desafios, como a falta de apoio ao esporte.

“Eu ainda passei um tempo praticando o atletismo, mas a falta de apoio na minha cidade me fez acabar abandonando a modalidade. Na época, eu estava naquela fase de crescimento e acabei conhecendo o basquete através da minha irmã, que já praticava. Curiosamente minha irmã tinha começado a jogar com a irmã do Arthur Pecos, um dos jogadores do atual elenco da Unifacisa. Minha mãe entrou em contato com a família do Pecos e o pai dele pediu para que eu fosse no Palmeiras fazer um teste para o time e eu acabei passando. Fiquei alguns meses no Palmeiras e logo tive uma oportunidade de jogar no Barueri até os meus 17 anos, lá eu dividi a quadra com grandes atletas como o Bruno Caboclo, que atualmente joga na NBA, e joguei pela primeira vez com o Pezão, o pivô da Unifacisa na disputa da Liga Ouro 2019 e do último NBB”, comentou.

Se em parte da sua trajetória lhe faltou apoio, na Unifacisa Fábio Alexandrino encontrou todo o suporte que precisava. Além de atleta de base, Alexandrino é estudante do curso de Nutrição na Unifacisa, bolsista integral, atualmente cursando o sexto período do curso, encontrou em Campina Grande com a Unifacisa, a oportunidade de unir o esporte que ama com a educação e formação profissional.

“Em 2017 recebi o convite para vir à Unifacisa. Cheguei na instituição para o amistoso contra o Flamengo na inauguração da Arena, participei da nossa conquista do JUBS, em uma final inédita com duas equipes nordestinas. Graças ao meu desempenho na Unifacisa também joguei com a Seleção Universitária onde disputamos o Pan-Americano Universitário e continuo construindo minha história aqui, fiz parte dos elencos que disputaram a Liga Ouro 2018 e também 2019, quando fomos campeões, e agora integro o time nesse NBB 13” pontuou.

A Unifacisa e Fábio Alexandrino voltam à quadra na noite desta segunda-feira, 21, e têm pela frente um grande desafio, o São Paulo, terceiro colocado na competição, com um dos melhores retrospectos do campeonato até aqui. Mas para Alexandrino e todo o elenco da Unifacisa, essa é mais uma oportunidade de continuar fazendo história no esporte.

Foto: Heloysa Guedes

“O que vivemos na Unifacisa é realmente algo de outro mundo. A estrutura que temos aqui é de extrema excelência, ser atleta e estudante da instituição é realmente muito bom e mudou a minha vida. Estar aqui, entre os “grandes” era o que sempre sonhei e hoje posso dizer que esse sonho está sendo realizado. A experiência que nós, jogadores da base estamos vivendo na Unifacisa, de estar em um time profissional e poder contribuir com os companheiros de equipe dentro de quadra e ainda ter acesso a um estudo com qualidade de primeiro mundo é algo esplêndido. Somos muito gratos ao Dudu Schafer, a Diego Gadelha, e ao técnico da Unifacisa César Guidetti, que acreditaram em nós, em nosso trabalho e estão fazendo os nossos sonhos se tornarem realidade. E é por isso que em cada jogo estamos sempre dispostos a dar o melhor de nós, deixar tudo que temos em quadra, para representar muito bem a Paraíba, Campina Grande e a Unifacisa. Tenho certeza que contra o São Paulo não será diferente, vamos com tudo”, finalizou o pivô da Unifacisa, Fábio Alexandrino.

A partida entre Unifacisa e São Paulo está marcada para às 20h30 desta segunda-feira, 21, no Ginásio Poliesportivo H. Villaboim, em São Paulo, com transmissão exclusiva pela DAZN.

Categorias

NBB

Tags

,

Redação Ver tudo

Publicações de releases

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: