Ir para conteúdo

13ª rodada – Barça e CSKA vencem e seguem na ponta, após rodada de vários confrontos diretos

A 13ª rodada da temporada regular da Euroliga aconteceu nesta quinta e sexta-feira (10 e 11) e os dois líderes, Barcelona e CSKA Moscou, venceram seus compromissos e dividem a liderança. Os espanhóis levam vantagem no confronto direto e, por isso, estão em primeiro. Já no restante da tabela, vários confrontos diretos importantes ocorreram, seja entre times dentro da zona de classificação ou no grupo perseguidor, que buscam entrar nela. Um dos destaques desta rodada foram duas partidas que foram decididas apenas no último arremesso.

Antes da realização da rodada, quatro jogos que haviam sido adiados de rodadas anteriores por causa de problemas com COVID-19 foram jogados na terça-feira. Neles, somente um mandante saiu vencedor. O Zenit São Petersburgo foi até a Espanha e conseguiu uma vitória de ouro contra o Valencia, por 85 a 72 (válido pela 4ª rodada); o Anadolu Efes recebeu e derrotou o ASVEL por 72 a 68 em Istambul (válido pela 5ª); a Olimpia Milano derrotou o Khimki na Rússia, por 102 a 93 (válido pela 8ª); e o Olympiacos foi até a Catalunha e surpreendeu o líder Barcelona, vencendo por 96 a 88 (válido pela 9ª).

>>LEIA TAMBÉM: 12ª rodada – CSKA vence a sétima seguida, mas Barça mantém liderança

Confrontos diretos acirrados abrem a rodada na quinta-feira e alteram a tabela

Na Espanha, o Valencia (ESP) recebeu a visita do Anadolu Efes (TUR), em uma partida que prometia ser uma das mais entusiasmantes do primeiro dia da rodada. E as expectativas foram cumpridas. Após perder na semana passada e no jogo remarcado de terça, o Valencia caiu rapidamente do terceiro para o oitavo lugar e precisava de uma vitória para se manter na zona de classificação. Na contramão, a vitória do Efes na terça fez o time saltar da nona para a sétima posição, ultrapassando o próprio Valencia. Havia muito em jogo nesse confronto direto.

Como era de se esperar, a batalha entre essas duas boas equipes foi marcada pelo equilíbrio, com dois quartos vencidos para cada time, várias trocas de liderança e vantagens quase sempre muito pequenas. Os turcos construíram uma pequena liderança de seis pontos para iniciar o último quarto, após terminar o primeiro tempo perdendo por dois. Essa vantagem do Efes chegou a oito nos primeiros minutos do último período, mas não demorou muito para os donos da casa encostarem no placar, empatando e virando o jogo. A 53 segundos do fim, o ala-pivô Derrick Williams fez uma linda jogada, que terminou com um arremesso de meia distância, que colocou o Valencia na frente, por 74 a 70.

O Efes conseguiu empatar o jogo a 13 segundos do fim, com uma cesta de três de Vasilije Micić e um lance livre de Shane Larkin, deixando a última posse para o Valencia. Ainda podendo cometer duas faltas, o Efes “atrasou” o Valencia, deixando-os com apenas 4 segundos para uma última jogada, saindo da cobrança do lateral. Mas foi tempo o suficiente para que a jogada desenhada para o ala-armador Klemen Prepelič desse certo e o jogador acertasse a cesta da vitória no estouro do cronômetro, dando a vitória aos espanhóis por 76 a 74. O resultado faz o Valencia saltar para o quinto lugar, com oito vitórias e cinco derrotas, enquanto o Efes cai para o nono, com sete vitórias e seis derrotas.

Outra partida da quinta também só foi emocionante e decidida no último arremesso. O Estrela Vermelha (SER) recebeu em Belgrado o Olympiacos (GRE), tentando acabar com a má fase. Os sérvios, após um bom começo de temporada, haviam perdido seis de seus últimos sete jogos e buscavam evitar uma quarta derrota seguida. Já os gregos, após serem atropelados na rodada passada, chegaram empolgados a este jogo, após ter batido o líder Barcelona na terça.

Os anfitriões começaram com tudo, dominando por completo o primeiro quarto, no qual chegaram a liderar por 16 pontos. A vitória por 30 a 16 ao fim do primeiro período foi fruto de um grande esforço coletivo do Estrela, enquanto, pelo Olympiacos, Kostas Sloukas fez, sozinho, dez pontos. Mas o Olympiacos conseguiu melhorar sua postura e começou sua reação, reduzindo pacientemente o seu déficit. Com uma parcial de 13 a 2 durante o terceiro quarto, os visitantes conseguiram a improvável virada, 54 a 52. A partir daí, começou a porção mais equilibrada do jogo, que viu o Olympiacos abrir sete pontos no último quarto, mas também uma reação do Estrela que conseguiu virar o jogo, 78 a 76, a um minuto e meio do fim. Após nova virada dos gregos, o Estrela empatou novamente, 79 a 79, com um lance livre de Johnny O’Bryant III a 6 segundos do fim. A última posse de bola voltou para o Olympiacos, que desenhou uma jogada para terminar nas mãos de Vassilis Spanoulis após o lateral, mas Georgios Printezis, ídolo e costumeiro herói do clube, viu um espaço e resolveu ele mesmo penetrar em direção à cesta, para fazer a bandeja que deu a vitória ao time por 81 a 79, além de sofrer uma falta. Ele errou o lance livre, não dando uma boa chance ao Estrela. Com as duas vitórias desta semana, o Olympiacos entra de novo na zona de classificação, agora em oitavo, com sete vitórias e cinco derrotas. O Estrela continua a cair, agora em 16º, com quatro vitórias e nove derrotas.

O Real Madrid (ESP) recebeu o Zenit São Petersburgo na capital espanhola, tentando manter viva a reação espetacular que iniciou na sexta rodada. Os donos da casa tiveram trabalho no primeiro tempo, mas conseguiram se impôr no terceiro quarto, chegando a abrir 22 pontos de vantagem, 58 a 36. Mas o Zenit não se entregou e, talvez se aproveitando de um relaxamento por parte do Real, colocou pressão no último quarto e chegou a cortar seu déficit para apenas nove pontos, 67 a 58, com mais de três minutos a jogar, deixando a partida aberta novamente. Mas deste ponto em diante, a experiência dos jogadores do Real prevaleceu e os “Merengues” conseguiram segurar o triunfo por 79 a 72. Foi a sétima vitória do clube madrilenho nos últimos oito jogos e o time de Pablo Laso finalmente alcança o “G4”, com oito vitórias e cinco derrotas. O Zenit se mantém na mesma posição, o sexto lugar, com sete vitórias e quatro derrotas.

Em outro jogo acirrado, Baskonia (ESP) e Maccabi Tel Aviv (ISR) duelaram na Espanha. Os dois times viviam momentos opostos, com os espanhóis embalados por quatro vitórias seguidas e os israelenses, que antes da vitória na semana passada haviam perdido cinco das seis partidas anteriores. Mesmo em situações tão antagonais, o Maccabi foi quem levou a melhor. Com ajustes na rotação do time feitas pelo técnico Ioannis Sfairopoulos, a defesa dos Amarelos, tão forte no ano passado, deu mostras de estar voltando ao seu alto nível. O Maccabi limitou o Baskonia a um aproveitamento muito baixo de seus arremessos de quadra, com apenas 38,7%, além de conseguir anular a maioria dos jogadores do rival, com sete dos dez que estiveram em quadra fazendo apenas sete pontos ou menos. Mas apesar da dominância defensiva que sofreu, o Baskonia também deu muito trabalho, chegando a liderar por dez pontos no primeiro quarto. No segundo tempo equilibradíssimo, o Maccabi acabou sustentando um pequena vantagem no fim, 67 a 63, e chega a duas vitórias seguidas pela primeira vez na temporada. Enquanto o Baskonia deixa a zona de classificação, caindo para o décimo lugar com seis vitórias e seis derrotas, o Maccabi sobe duas colocações, agora em 13º, com cinco vitórias e oito derrotas.

Tyler Dorsey - Maccabi Playtika Tel Aviv - EB20

E na outra partida da quinta o surpreendente ALBA Berlim (ALE) afundou de vez o Fenerbahçe (TUR) na capital alemã e sem a menor piedade. Em uma partida dominada do início ao fim, em que jamais esteve atrás no placar, o campeão alemão não deu nenhuma chance para os turcos. Após um primeiro quarto parelho, os alemães conseguiram abrir uma vantagem de duplos-dígitos ainda no segundo quarto e esta chegou a 30 no terceiro quarto, praticamente acabando com os ânimos do Fener, que no fim acabou derrotado por 89 a 63. Após o péssimo início com uma vitória em seis jogos, o ALBA surpreende e chega à terceira vitória seguida, a quarta nos últimos cinco jogos. Com cinco vitórias e sete derrotas, os Albatrozes saltam para o 12º lugar, com apenas duas vitórias a menos que o oitavo. Na contramão, o Fenerbahçe sofre sua quinta derrota nos últimos seis jogos e está agora no 14º lugar, com quatro vitórias e oito derrotas.

Com espetáculo de Mike James, CSKA vence a oitava seguida, no dérbi russo; Barça consegue grande virada e segue líder

A sexta-feira foi aberta pelo clássico russo entre o lanterna Khimki (RUS) e o vice-líder CSKA Moscou (RUS). Apesar de estarem vivendo temporadas completamente contrárias, o Khimki já havia vencido o CSKA pela Liga VTB, o que dava esperanças ao clube. Porém, desta vez o clube do exército não deu chances ao adversário e conseguiu uma vitória sólida, por 96 a 87. Não foi uma partida fácil para os visitantes, apesar de eles chegarem a liderar por 17 pontos em determinado momento. A grande diferença para o CSKA foi o espetáculo protagonizado pelo armador Mike James: o americano simplesmente acabou com o jogo, beirando um triplo-duplo, com 36 pontos, dez assistências e nove rebotes, para uma histórica marca de 51 de PIR (Performance Index Rating), a sexta maior já registrada, desde a invenção deste cálculo. A performance de James foi tão impressionante que chegou a ofuscar a também ótima partida de Alexey Shved, pelo Khimki, com 26 pontos e seis assistências. Ele, quase que só, foi o responsável por manter seu time vivo até três minutos para o fim, quando cortaram a desvantagem para apenas seis pontos. Mas o CSKA endureceu novamente e voltou a ampliar a liderança. Foi a oitava vitória seguida para o CSKA, que tem agora dez triunfos e três derrotas. O time assumiu a liderança momentânea da competição, mas voltou a ser o vice-líder ao fim da rodada. Já o Khimki perde a quarta seguida e, com a campanha de duas vitórias e onze derrotas, segue na lanterna.

O Žalgiris Kaunas (LIT) finalmente interrompeu a incômoda série de derrotas, que já chegava a seis consecutivas. Os lituanos foram até Atenas, onde derrotaram o Panathinaikos (GRE) por 81 a 69, em um confronto direto do meio da tabela. O ala Marius Grigonis foi o nome da partida, com 24 pontos, incluindo seis cestas de três, além de seis rebotes. O Žalgiris construiu uma vantagem de dez pontos no primeiro quarto e viu o Panathinaikos correr atrás durante todo o tempo restante. Os gregos conseguiram empatar o jogo no terceiro quarto, mas levaram dez pontos consecutivos, sem resposta. Os donos da casa conseguiram encostar novamente no último quarto, cortando para sete o déficit, mas o Žalgiris tratou de se distanciar novamente e já vencia por dez quando o jogo chegou ao minuto final. Com seis vitórias e sete derrotas, o Žalgiris volta a encostar na zona de classificação, agora em 11º. Já o Panathinaikos cai para o 15º, com quatro vitórias e oito derrotas.

Mesmo jogando sem seu principal jogador, o ala Vladimir Lučić, o Bayern de Munique (ALE) não teve o menor problema para dominar o ASVEL (FRA) no Audi Dome, em Munique. O clube francês vinha de uma seqüência de desempenho impressionante da linha de três em jogos recentes, beirando os 40% de aproveitamento. Mas o Bayern soube dificultar as coisas para o adversário e limitou os visitantes a apenas oito cestas de três na partida (nas três anteriores, eles acertaram pelo menos 11 em cada). A defesa dos bávaros também anulou as principais peças dos franceses, com apenas um jogador rival fazendo mais do que dez pontos. No fim, após ter construído uma boa vantagem no primeiro tempo, o Bayern venceu por 76 a 62 e se manteve no terceiro lugar, agora com nove vitórias e quatro derrotas. O ASVEL, que com a derrota de terça e a de hoje tem três consecutivas, fica na penúltima posição, com três vitórias e nove derrotas.

Jalen Reynolds - FC Bayern Munich - EB20

No jogo que fechou a rodada, o líder – no momento do início do jogo, vice-líder – Barcelona (ESP) recebeu a Olimpia Milano (ITA) na Catalunha, pressionado pela vitória de mais cedo do CSKA, que deu ao time russo a liderança provisória. Os espanhóis começaram melhores, abrindo sete pontos de frente no primeiro quarto. Mas, mesmo jogando sem um de seus principais jogadores, o armador Sergio Rodríguez, a Olimpia surpreendeu e virou a partida no segundo quarto, indo para os vestiários vencendo por quatro pontos. A partir daí, começou a perseguição do Barça, mas foram os italianos que ficaram à frente no marcador na maior parte do segundo tempo, chegando a abrir sete pontos de frente.

Mas o Barça lutou muito e viu brilhar a estrela do armador grego Nick Calathes, que deu cinco de suas 14 assistências no jogo apenas no último período. Os donos da casa conseguiram a virada a cerca de três minutos do fim e parece que arrasaram com os ânimos da Olimpia, pois nos três minutos finais do jogo o Barça fez uma parcial de 17 a 2, podendo ter um placar final elástico de 87 a 71. Além das 14 assistências de Calathes, Nikola Mirotić se destacou com um duplo-duplo, 19 pontos e dez rebotes, e Brandon Davies foi o cestinha do time, com 21. Fazendo valer a “Lei do Ex”, Malcolm Delaney brilhou pela Olimpia, com seus 23 pontos. Com dez vitórias e três derrotas, o Barça segue líder. A campanha é a mesma do CSKA, mas a vitória dos espanhóis sobre eles na primeira rodada está dando a vantagem hoje para o Barça. A Olimpia havia subido para o quinto lugar com a vitória de terça e poderia ter entrado no “G4” se tivesse vencido, mas agora cai para o sétimo lugar, com sete vitórias e quatro derrotas.

Mantenha-se atualizado sobre a situação dos jogos adiados. Confira a nossa tabela com a lista de tais jogos e as novas datas de suas realizações, que já foram divulgadas até o momento:

Confira como ficou a classificação geral da Euroliga após a 13ª rodada:

Equipe EuroLeague Brasil Ver tudo

Perfil brasileiro dedicado à maior liga europeia de basquete. Você nos encontra no Instagram e Twitter por: @EuroLeagueBRA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: