Ir para conteúdo

EuroBasket – Sete seleções se classificam na segunda janela de jogos das eliminatórias

Aconteceu entre a última sexta-feira (27) e esta segunda-feira (30) a segunda das três janelas de jogos das eliminatórias para o EuroBasket da FIBA de 2022. Os oito grupos do torneio jogaram cada um em uma cidade-sede fixa, no formato de “bolha”, ao invés de cada seleção jogar em seu país como acontece normalmente. A medida teve por objetivo diminuir a chance de contágio pela COVID-19. Duas seleções apresentaram contágio pela doença e precisaram deixar as “bolhas”, com seus jogos sendo adiados para a próxima janela.

Além dos cuidados com relação à COVID-19, outro fato que marcou esta janela das eliminatórias foi a ausência de atletas que jogam na NBA. A liga estadunidense proibiu seus atletas de defenderem suas seleções, muito provavelmente para não expô-los a um possível contágio pelo vírus.

As quatro nações que serão sedes do EuroBasket (Itália, Geórgia, República Tcheca e Alemanha) disputam também estas eliminatórias, mas elas já têm suas vagas automaticamente garantidas. O que isso ocasiona é que nos grupos em que essas seleções estão, há apenas duas vagas em disputa, ao invés de três, como nos outros grupos. Após os jogos desta janela, quatro equipes conseguiram permanecer invictas e um total de sete novas seleções garantiram sua classificação matemática para a competição. Confira abaixo o que de principal aconteceu em cada um dos grupos.

Grupo A – Israel se mantém invicto e garante a vaga, ao lado da Espanha

Israel deu uma grande amostra de força nesta janela ao vencer ambas as suas partidas e manter-se invicto, garantindo matematicamente a sua vaga. Uma dessas vitórias foi gigantesca, contra a dona da casa.

Mesmo sem contarem com suas equipes principais, Israel e Espanha fizeram talvez o melhor jogo desta janela, no sábado. Determinados a tomar dos israelenses a ponta do grupo, a atual campeã mundial dominou a partida durante quase todo o primeiro tempo, chegando a abrir 18 pontos de vantagem. Mas Israel não se entregou e com um segundo tempo primoroso conseguiu se aproveitar dos erros dos espanhóis e viraram a partida, vencendo no fim por 95 a 87. No outro jogo do primeiro dia, a Polônia chegou à sua segunda vitória, atropelando a Romênia por 91 a 61 e dando um enorme passo rumo à classificação.

Nesta segunda-feira Israel passou aperto, mas bateu a Polônia por 78 a 72 e carimbou seu passaporte. Também o fez a Espanha, que não tomou conhecimento da Romênia e a trucidou por impiedosos 94 a 41. Por ter batido os romenos duas vezes, a Espanha não pode mais ser alcançada por eles e garante também a classificação. Curiosamente, os espanhóis ficam atrás da Polônia na tábua de classificação, em função dos critérios de desempate, mas os poloneses ainda precisam derrotar na próxima janela a Romênia, time que ainda pode alcançá-los.

Grupo B – Itália deixa excelente impressão com vitória sobre a Rússia; rodada do grupo é cortada pela metade

O grupo B teve a sua janela cortada pela metade, com somente duas das quatro partidas programadas realmente acontecendo. O motivo foi que o elenco da Macedônia do Norte apresentou casos positivos de COVID-19 e a seleção precisou deixar a “bolha”. Ambos os jogos marcados para esta janela, contra Itália e Estônia, serão jogados na próxima.

Na única partida do grupo no sábado, a Rússia chegou à sua segunda vitória no torneio, batendo com tranqüilidade a anfitriã Estônia por 84 a 56. O triunfo fez as duas seleções inverterem suas posições e deu à Rússia a chance de tomar da Itália o primeiro lugar do grupo no confronto direto de segunda-feira.

Mas a Itália, mesmo já tendo vaga garantida por ser uma das quatro nações anfitriãs do EuroBasket, não tirou o pé do acelerador. Com um elenco forte e jovem, mesmo sem contar com as grandes estrelas da NBA e da Euroliga, os italianos prevaleceram contra a Rússia, em uma jogo muito parelho. O pivô Amedeo Tessitori (fazendo a enterrada na foto acima) fez uma partida espetacular, com 27 pontos e nove rebotes, ajudando a equipe a prevalecer no fim por 70 a 66.

Tudo ainda está aberto neste grupo. Para além da vaga automática da Itália, Rússia, Estônia e Macedônia do Norte ainda estão todas vivas na briga pelas duas vagas restantes. Talvez um ponto de desvantagem para os russos seja que eles têm apenas dois jogos ainda por fazer, enquanto a Estônia tem três e a Macedônia do Norte tem quatro.

Grupo C – Dinamarca é a “Cinderela” desta janela e Lituânia se complica

O grupo C tem a gigante Lituânia, favorita incontestável do grupo, por ser uma escola de muito mais tradição no basquete do que as outras seleções do grupo. Todas as atenções estavam voltadas para o segundo encontro entre os lituanos e a Bélgica, que também aconteceu na primeira janela e terminou com vitória belga e lhes ajudou a liderar o grupo. Porém, uma outra história roubou a cena do grupo nesta janela.

Lanterna, após perder seus dois jogos na janela de fevereiro, a Dinamarca foi a grande surpresa do grupo desta vez. Os escandinavos começaram por chocar a todos com uma vitória por 80 a 76 sobre a Lituânia na sexta-feira, com grande partida do ala-armador Gabriel Lundberg (28 pontos, sete rebotes e quatro assistências). No domingo o mesmo Lundberg daria um espetáculo ainda maior (38 pontos) e ajudaria os daneses a segurar uma apertada vitória por 91 a 90 sobre a República Tcheca, no confronto direto pela terceira vaga do grupo. Com duas vitórias e duas derrotas, a Dinamarca ocupa agora o segundo lugar do grupo.

Na briga pelas primeiras posições, a Lituânia enfrentou a Bélgica no domingo, buscando se recuperar do tropeço diante da Dinamarca e também a revanche após a derrota frente aos belgas na primeira janela. A Bélgica vinha de um atropelo (90 a 62) diante da República Tcheca na sexta-feira e liderava ainda invicta o grupo. Mas desta vez os lituanos se impuseram e, com grande partida do ala Eimantas Bendžius, controlaram o jogo todo e venceram por 84 a 71.

Neste momento a Lituânia ocupa o terceiro lugar, o que neste grupo significaria que ela estaria eliminada se a competição acabasse hoje, pois o grupo classificará somente o primeiro e o segundo colocado. Isso se dá pois a República Tcheca, por ser um dos países-sede do EuroBasket, já tem sua classificação automática. Tudo indica que o confronto entre Dinamarca e Lituânia, no próximo dia 22/02, decidirá qual das duas seleções se classifica.

Grupo D – Croácia confirma favoritismo e se classifica; mesmo com Larkin, Turquia não sai da lanterna

A classificação do grupo permaneceu inalterada após os dois jogos desta janela. A Croácia, líder invicta, teve um começo de jogo arrasador e passou por cima da lanterna Turquia na sexta-feira, por 79 a 62. O grande destaque do time foi o pivô Miro Bilan, dono de um impressionante duplo-duplo de 30 pontos e 12 rebotes. Os turcos tiveram o primeiro jogo do americano Shane Larkin com a camisa do país, após este conseguir sua cidadania turca, mas ele pouco ajudou, fazendo 12 pontos. No mesmo dia, a vice-líder Holanda conseguiu uma vitória preciosíssima diante da Suécia, por apertados 78 a 76, mantendo a posição.

No domingo, a Turquia finalmente acabou com a série de derrotas. Se Larkin não teve a melhor das estréias no jogo anterior, desta vez ele foi o homem do jogo, chegando perto de um duplo-duplo: 23 pontos e nove assistências, que foram essenciais para a vitória sobre a Holanda por apertados 73 a 71. A Croácia não teve problemas para atropelar a Suécia no mesmo dia, por 87 a 72, e garantir matematicamente sua classificação para o EuroBasket.

A Turquia passou por uma troca abrupta de treinador uma semana antes do início da janela, mandando embora o técnico Ufuk Sarica e trazendo de volta Orhun Ene. Além disso, quatro dos atletas convocados para esta janela estiveram em quadra na quinta-feira por seus clubes pela Euroliga e três deles precisaram fazer uma pequena viagem às pressas para se juntar à equipe no dia seguinte.

Com apenas uma vitória em quatro jogos, a Turquia está empatada com a Suécia, mas perde no critério desempate de confronto direto. As duas seleções voltam a se enfrentar na próxima janela e o encontro pode ser decisivo para definir quem fica com a última vaga.

Grupo E – Sérvia tropeça e Geórgia, mesmo classificada, mantém invencibilidade

Assim como a Itália no grupo B, a Geórgia não quis saber se já tem classificação automática ou não e levou sua força máxima para esta janela. Com o trio Thaddus McFadden, Giorgi Shermadini e Tornike Shengelia em quadra, os georgianos não tiveram vida fácil, mas venceram ambos os seus jogos e têm agora quatro vitórias.

O trio de estrelas foi o grande responsável pelos triunfos. No sábado, contra a anfitriã Finlândia, Shermadini liderou o time com 27 pontos e dez rebotes, enquanto Shengelia teve 19 pontos e oito rebotes e o armador americano naturalizado McFadden teve também um duplo-duplo, com 14 pontos e dez assistências. A Finlândia virou o jogo e vencia até a segunda metade do último quarto, mas a dupla de garrafão georgiana mostrou força e ajudou os visitantes a completarem a virada e a vencer por 91 a 85.

Mas foi no outro jogo do sábado que a grande história do grupo nesta janela aconteceu. A Suíça conseguiu talvez a maior “zebra” desta janela, ao derrotar a gigante Sérvia por 92 a 90, naquela que talvez tenha sido uma das maiores vitórias da história do basquete suíço. A equipe foi melhor durante quase todo o jogo, mas viu os sérvios crescerem no último quarto e virarem o jogo. Porém, a Suíça não se entregou e conseguiu manter-se viva até os segundos finais. Com a última posse de bola e o jogo empatado em 90 a 90, a Suíça desenhou a jogada que levou a bola final para Dušan Mladjan na zona morta (ele que curiosamente é sérvio de nascimento), que acertou o chute decisivo, deixando apenas 0.3 segundo no relógio.

Já nesta segunda-feira nenhuma surpresa aconteceu, com a Geórgia derrotando sem maiores problemas a Suíça por 91 a 84 e a Sérvia vencendo uma partida dura contra a Finlândia por 75 a 66. Na próxima janela, a terceira colocada Suíça fará o duelo decisivo com a Finlândia para ajudar a definir quem fica com a terceira vaga. A Sérvia enfrenta a Geórgia no grande jogo da janela e tem a revanche contra a lanterna Suíça no segundo dia, podendo se classificar com uma vitória dentre essas duas partidas.

Grupo F – Atual campeã, Eslovênia se classifica, ao lado da Ucrânia

Assim como o grupo B, o grupo F teve uma de suas equipes com problemas de COVID-19. A líder Hungria deixou a “bolha” após apresentar casos da doença e suas duas partidas foram adiadas para a próxima janela. As duas outras partidas do grupo aconteceram normalmente e uma partida da terceira janela foi adiantada para esta.

Jogando em casa, a atual campeã européia, Eslovênia, fez bonito.  Recuperando-se do tropeço diante da Hungria na primeira janela, os eslovenos bateram a Ucrânia no sábado, contando praticamente com a vitória arrasadora no primeiro quarto (33 a 9) para seguir rumo ao triunfo por 84 a 73. No domingo, no jogo “puxado” da janela de fevereiro, os anfitriões derrotaram a Áustria também sem problemas, por 84 a 73. Em ambas as partidas, o cestinha do time foi o ala Jaka Blažič: ele teve 23 pontos contra a Ucrânia e 16 contra a Áustria.

A classificação matemática dos eslovenos veio apenas na segunda-feira, com a vitória apertada da Ucrânia sobre a Áustria, por 70 a 67. Os austríacos (que perderam todos os quatro jogos até aqui) não conseguem mais alcançar a Eslovênia (três vitórias e uma derrota) e perdem para a Ucrânia nos critérios de desempate mesmo que igualem sua campanha (atualmente de duas vitórias e duas derrotas). Para a Áustria, resta a esperança de derrotar a Hungria nos dois jogos que as duas seleções ainda farão e torcer para os húngaros perderem os outros dois. Uma vitória da Hungria já garante a ela a vaga.

Grupo G – França assume a liderança e ajuda a mandar a Alemanha para a lanterna; Grã-Bretanha vence partida crucial

O único grupo que terminou a primeira janela com um quádruplo empate teve todas as suas posições modificadas, incluindo a queda da então líder para a lanterna do grupo. A França impôs o seu favoritismo, mesmo sem contar com suas grandes estrelas nesta convocação, vencendo os dois jogos. Na sexta-feira, os franceses passaram sem problemas pela Grã-Bretanha por 79 a 56, liderados por 24 pontos do veterano Amath M’Baye. Mas foi no domingo que a França fez sua grande apresentação.

Devolvendo a derrota que sofreu na primeira janela, a França dominou e derrotou a Alemanha por 86 a 74 no domingo, após um último quarto excepcional. Foi uma apresentação coletiva excelente dos franceses, que tiveram quatro atletas com duplos-dígitos de valoração e o ala-armador Yakuba Ouattara como seu cestinha, com 24 pontos. Vice-líder ao fim da última janela, a França se isola na ponta do grupo e fica muito próxima da vaga.

Dois dias antes de perder para a França, a Alemanha havia perdido para Montenegro, que trouxe um time forte para esta disputa, pelo placar de 80 a 74. A seleção dos Balcãs ficou momentaneamente com a segunda posição, mas ela não esperava a grande surpresa que viria no domingo. A Grã-Bretanha conseguiu uma das vitórias mais surpreendentes do torneio, batendo o concorrente direto Montenegro por 74 a 59, com grande partida do pivô Gabriel Olaseni (28 pontos e oito rebotes). Desta forma, mesmo as duas seleções tendo campanhas idênticas de duas vitórias em quatro jogos, os britânicos levam vantagem no saldo de pontos.

País com pouca tradição no basquete, o Reino Unido tenta se classificar para apenas o quinto EuroBasket de toda a sua história. Com “uma vaga a menos” no grupo, em função da classificação automática da Alemanha por ser um dos países-sede, França e Grã-Bretanha estariam se classificando hoje, com Montenegro ficando de fora. Britânicos e montenegrinos não se enfrentarão novamente na terceira e última janela.

Grupo H – Grécia tropeça, mas se classifica; Bósnia e Herzegovina mostra força e também garante a vaga

Mesmo que não tenha terminado esta janela na liderança, a Bósnia e Herzegovina, jogando em casa, foi a seleção que saiu com mais moral dela, no grupo H. Após um modesto terceiro lugar após a janela de fevereiro, os balcânicos venceram ambas as suas partidas desta vez e, pela combinação de resultados, carimbaram o passaporte para o EuroBasket.

Na sexta-feira os bósnios atropelaram a Bulgária sem a menor piedade, com um acachapante 88 a 49, em que não permitiu aos adversários fazer mais do que 11 pontos em três dos quatro quartos. Já no domingo, contra a Letônia, a tarefa não foi tão simples assim. A Bósnia dominou basicamente todo o jogo e chegou ao último quarto vencendo por confortáveis 15 pontos. Porém, empolgada pela vitória de sexta sobre a favorita Grécia, os letões iniciaram uma grande reação no último quarto e encostaram no marcador, mas não o suficiente. Os donos da casa acabaram prevalecendo e levando a vitória por 79 a 73 e a classificação matemática.

A líder do grupo, Grécia, não foi bem nesta janela, mas fez o suficiente e contou com a combinação de resultados para também garantir sua vaga. Na sexta os gregos foram surpreendidos logo cedo pela valente Letônia, que com um segundo quarto impecável (vencido por 22 a 9), garantiu uma vantagem que prevaleceria até o fim da partida. A Grécia correu atrás do prejuízo durante todo o segundo tempo, mas os letões não cederam e acabaram vencendo por 77 a 66. No domingo a história parecia estar se repetindo para a Grécia, que viu a Bulgária também abrir vantagem cedo e mantê-la por quase todo o jogo. Mas desta vez a perseguição grega surtiu efeito e com uma apresentação fantástica do ala-armador Ioannis Athinaiou no minuto final, os gregos tiraram uma desvantagem de cinco pontos a 30 segundos do fim para empatar o jogo e mandá-lo para a prorrogação. Athinaiou acertou duas bolas de três vitais para isso e, na prorrogação, outras duas e ajudou a Grécia a vencer por 84 a 78.

Com isso, gregos e bósnios já estão garantidos no EuroBasket, com três vitórias e uma derrota cada. Neste momento, Bulgária e Letônia têm, ambas uma vitória e três derrotas, mas os búlgaros estão dentro da zona de classificação por causa da vitória no confronto direto. As duas equipes se enfrentarão na janela de fevereiro na partida que potencialmente será o divisor de águas para a definição da última vaga do grupo.

Equipe EuroLeague Brasil Ver tudo

Perfil brasileiro dedicado à maior liga europeia de basquete. Você nos encontra no Instagram e Twitter por: @EuroLeagueBRA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: