Ir para conteúdo

O azarão que se tornou campeão

Foto: Arivaldo Chaves / Grupo RBS

Nesta quarta (18), o KTO/Caxias do Sul Basquete fará a sua estreia na 13ª temporada do Novo Basquete Brasil (NBB). Essa será a terceira vez (2015-16 e 2016-17) que o time disputa a competição.

O que poucos sabem, é que no Rio Grande do Sul já existia um grande representante no basquete nacional bem antes da equipe do Caxias. Estamos falando do União Corinthians (Santa Cruz do Sul) que jogará o campeonato brasileiro, organizado pela Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

E para contar um pouco mais sobre o União Corinthians, separamos um pouco da história do clube que promete fazer o seu nome no cenário nacional.

O começo de tudo

Foi no dia 4 de Outubro de 1939 em Santa Cruz do Sul, que nasceu o time de basquetebol do Corinthians Sport Club. A equipe que foi um marco importantíssimo para a história do esporte no estado e toda a região sul, 

A primeira competição oficial que o Corinthians disputou aconteceu no ano de 1940, na cidade de Estrela. A equipe acabou derrotada, mas nesse mesmo ano, uma mudança muito importante aconteceu, o time de futebol do clube foi colocado em segundo plano, agora o basquete seria o cargo chefe, e os títulos precisavam chegar.

Dois anos após o investimento ser focado no basquete, foi anunciado o primeiro campeonato citadino de Santa Cruz do Sul. Jogando em casa e valendo a vaga no estadual, o Corinthians não decepcionou seus fãs e levou o título em uma série melhor de três. 

Após ganhar o bicampeonato da cidade, os santa-cruzenses chegaram na primeira final de estadual. Porém, o Internacional de Porto Alegre venceu sem nenhuma dificuldade. Anos mais tarde, em 1958, o Corinthians viria a ser campeão estadual pela primeira vez, de forma invicta. O clube só ganharia o gauchão de novo em 1983, alguns anos antes do Campeonato Nacional ser criado. 

Conquistas além do time principal

Apesar do time não ter engrenado no basquete profissional logo no início, a base vinha forte e mostrando resultado. Foi em 1951 que Santa Cruz do Sul sediou e venceu o primeiro campeonato estadual juvenil.

No mesmo ano do torneio juvenil, o time feminino foi campeão gaúcho, jogando em Porto Alegre. Já em 1954 foram vice campeãs do mesmo torneio. Para fechar a tradição, o Corinthians foi o único representante gaúcho do VI Campeonato Brasileiro de Basquete Feminino. Infelizmente, o departamento foi fechado em 1958, deixando as mulheres fora das quadras por 32 anos.

Uma nova era 

Técnico Ary se tornou um ídolo / Foto: Globo Esporte

Chegamos a 1990, o Campeonato Nacional de Basquete é criado e após muitas reuniões, o Corinthians decide passar por uma profissionalização. O time fechou uma parceria com a Arcal e o investimento foi gigante. O objetivo era claro, ser a melhor equipe do Brasil.

O primeiro movimento do Arcal/Corinthians foi contratar o lendário Ary Vidal, o técnico que conquistou o Pan-Americano de 1987 contra os Estados Unidos e os atletas da seleção, Marcel e Rolando. 

Apesar do currículo, Ary chegava desacreditado por conta do fracasso nas Olimpíadas. Além das críticas que recebia na seleção, ele aceitar um trabalho no Rio Grande do Sul só piorou a situação. Afinal, o estado era inexpressivo no cenário nacional, sendo lembrado apenas pela quarta colocação do Cruzeiro em 1969.

Um amante de desafios, Ary estava tão disposto a assumir este projeto que diversos relatos narram ele como grande amigo do prefeito, padre, empresários, churrasqueiros e vendedores locais, o treinador entrou de cabeça na cidade, sendo até hoje um ídolo para quem mora lá.

Em 1991, a diretoria tinha como o maior objetivo a boa campanha no brasileiro, sem a necessidade de títulos em um inicio de trabalhos. Dito e feito, o Pitt/Corinthians conquistou o terceiro lugar do Campeonato Nacional, além de ganhar o primeiro de seis títulos gaúchos seguidos. 

Na sequência dos anos, os santa-cruzenses permaneceram brigando pelo título, ficando em quinto lugar em 1992 e na sexta posição no ano de 1993. Mas foi em 1994 que tudo começou a mudar.

O clube estava com pouco investimento e havia perdido atletas chave das últimas campanhas, como Rolando e Marcel, que faziam parte da seleção. O basquete parecia que iria esfriar mais uma vez, porém Ary nunca desistiu, e estava disposto a levar o Corinthians a glória. Os reforços começaram com os veteranos, Joel, Almir, João Batista e Cruxen. Porém o que é citado nos livros como fator chave, foi a chegada do auxiliar técnico Waldir Boccardo, um dos maiores especialistas de defesa do basquete nacional.

O time que até aquele momento era o azarão, foi crescendo cada vez mais no passar da temporada. Os americanos Brent Merritt e Alvin Frederick estavam liderando a equipe até a final contra os atuais campeões, o Sabesp/Franca.

A final foi uma série melhor de cinco que teve emoção do início ao fim. Os dois primeiros jogos foram em São Paulo e os paulistas abriram 2 x 0, com placares de 95 x 92 e 97 x 96. No Rio Grande do Sul, o que já estava de tirar o fôlego ficou ainda mais emocionante com os três jogos acontecendo Porto Alegre. Franca precisava de apenas uma vitória para confirmar o segundo caneco seguido, já o Corinthians, precisava ganhar todos os jogos restantes.

No jogo três da série, os gaúchos ganharam por 90 x 87, e conseguiram respirar com mais calma. Já no dia seguinte, mais uma vitória, desta vez por apenas um ponto, placar final de 99 x 98. Então chegou o dia, o tão aguardado jogo cinco estava acontecendo na capital gaúcha. Foi no dia 17 de Abril de 1994 que o Pitt/Corinthians se sagrou o primeiro e único time do estado a ser campeão nacional de basquete. Embalados pelas vitórias consecutivas, o time ganhou por 99 x 92 e levou o título para casa. 

Time do Corinthians após receber as faixas/Foto por Gazeta

Após esse ano, Ary retornou a seleção brasileira e o time perdeu força, entretanto, conquistou duas medalhas de prata, em 1996 e 1997. O último campeonato que o Corinthians participou foi em 2002, ficando com a décima quarta colocação.

Um possível retorno?

Com a junção dos clubes Corinthians e Unico, a cidade está voltando aos poucos para o cenário do basquete. Disputando a LDB, a base tem sido cada vez mais elogiada e formou diversos jovens que hoje subiram para a região sudeste.

Outro destaque que a equipe merece é que será uma das doze participantes do Campeonato Brasileiro de Basquete, organizado pela CBB. O campeão recebe um convite para disputar o Novo Basquete Brasil. Seria essa a chance do Sport Clube Corinthians/Unico voltar ao cenário da primeira prateleira no país?

Categorias

NBB

Tags

,

Lorenzo Goulart Bonone Ver tudo

Sou um estudante do ensino médio de Caxias do Sul. Fã de basquete e filmes. Escrevo sobre NBB no Blog do Souza e cultura pop no Despida Mente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: