Ir para conteúdo

1ª Escolha do Draft: Sucesso garantido ou decepção?

Lebron James foi selecionado em 2003 pelo Cleveland Cavaliers com a primeira escolha do Draft. Copyright 2003 NBAE (Photo by Jesse D. Garrabrant/NBAE via Getty Images)

O Draft é um dos momentos mais aguardados da NBA. O evento permite as franquias a mudar seu panorama na competitivo com a oportunidade de selecionar jovens talentos do colegial. As equipes de pior colocação na temporada anterior recebem maiores chances de garantir as primeiras escolhas do Draft e consequentemente ficar com os melhores jogadores. Mas será que ter a primeira escolha é garantia de sucesso? Com o Draft da NBA acontecendo esta noite, vamos revisar os atletas selecionados nesta posição após a chegada meteórica de LeBron James!

Draft 2004: Dwight Howard (Pivô) – Orlando Magic

ESPN Archives

Carreira

1113 Jogos / 16.7 PPG / 12.3 RPG / 1.4 APG

8x All-Star / 8x All-NBA / 3x Jogador de Defesa / 1x Campeão

O pivô tem sua trajetória na NBA marcada por altos e baixos. De Superman a renegado, Dwight encarou a realidade de deixar de ser uma das maiores estrelas da Liga e se tornar uma espécie de exemplo do que não fazer na liga para os jogadores mais jovens. Nesta última temporada conseguiu sua redenção conquistando o sonhado anel de campeão. Para muitos, o atleta será elegido para o Hall da Fama quando se aposentar. Em Orlando, liderou a equipe as finais da NBA em 2009 sendo derrotado pelos Lakers de Kobe Bryant e Pau Gasol.

Draft 2005: Andrew Bogut (Pivô) – Milwaukee Bucks

Carreira

706 Jogos / 9.6 PPG / 8.7 RPG / 2.2 APG

1x All-NBA / 1x Time de Defesa / 1x Campeão

Conhecido por sua boa defesa e seu alto QI de basquete, Bogut foi uma peça fundamental para primeiro título do Golden State Warriors sob o comando do técnico Steve Kerr. Entretanto, durante sua carreira sofreu com lesões impedido-o de atingir seu potencial máximo. Ficou reservado ao papel de coadjuvante durante o resto de sua carreira. Com os Bucks fez parte do time de calouros em 2005-2006 e da seleção de All-NBA da temporada 2009-2010.

Draft 2006: Andrea Bargnani (Ala-pivô) – Toronto Raptors

Carreira

550 Jogos / 14.3 PPG / 4.6 RPG / 1.2 APG

Time de calouros 2006-2007

Você provavelmente nunca ouviu falar dele, mas o atleta italiano foi o primeiro selecionado de um draft com poucos talentos expoentes. Apesar disso, Bargnani foi um bom pontuador, atingindo a média de 21.4 PPG na temporada 2010-2011. Neste mesmo draft foram selecionados LaMarcus Aldridge, Rajon Rondo e Kyle Lowry, o que não ajuda a contar a história de Bargnani.

Draft 2007 – Greg Oden (Pivô) – Portland Trail Blazers

Kevin Durant e Greg Oden posam para a foto dos calouros (Photo by Fernando Medina/NBAE via Getty Images)

Carreira

105 Jogos / 8 PPG / 6.2 RPG / 0.5 APG

No Draft de 2007, Portland e Seattle tinham as escolhas um e dois respectivamente. Com a primeira escolha, selecionaram Greg Oden à frente de Kevin Durant. Muito pouco precisa ser dito após isso. Oden sofreu lesões graves, conviveu com o sobrepeso e se tornou uma das maiores decepções da história da liga. Enquanto Durant é uma das maiores estrelas da liga, Oden fez sua última participação aos 26 anos na temporada 2013-2014.

Draft 2008: Derrick Rose (Armador) – Chicago Bulls

Carreira

596 Jogos / 18.1 PPG / 2.4 RPG / 5.6 APG

MVP / 1x All-NBA / 3x All Star / Calouro do ano 2008-2009

O MVP mais jovem da história era a grande esperança do Chicago Bulls em retomar as glórias da Década de 90. O atleta misturava técnica e atleticismo e parecia despontar como uma das grandes estrelas da liga, mas antes mesmo que pudesse atingir seu auge sofreu uma ruptura dos ligamentos do joelho durante os playoffs de 2012 e nunca mais jogou no mesmo nível. Apesar disso, Rose mantém-se como um dos bons pontuadores da liga tendo registrado 18.1 PPG na última temporada. Constantemente é ligado a rumores de troca para times favoritos que desejam usar sua capacidade de pontuar e armar vindo do banco. É possível que ainda vejamos Derrick Rose campeão da NBA.

Draft 2009: Blake Griffin (Ala-pivô) – Los Angeles Clippers

Carreira

622 Jogos / 21.7 PPG / 8.8 RPG / 4.4 APG

6x All-Star / 6x All-NBA / Calouro do Ano 2010-2011

É isso mesmo que você leu, Blake Griffin foi calouro do ano uma temporada depois de ter sido selecionado no draft. Por conta de uma lesão ele não atuou na temporada em que foi selecionado. Apesar disso, sua explosividade em quadra rendeu momentos marcantes. Griffin se tornou praticamente uma fábrica de melhores momentos com suas enterradas fantásticas. Foi um dos grandes responsáveis pela ascensão do Los Angeles Clippers como uma franquia relevante na NBA. Apesar disso, nunca atingiu uma final de Conferência sequer e ficou abaixo do que se esperava pra carreira. Ele é mais um dos que tem sofrido com constantes lesões durante a carreira.

Draft 2010 – John Wall (Armador) – Washington Wizards

Carreira

573 Jogos / 19 PPG / 4.3 RPG / 9.2 APG

5x All-Star / 1x All-NBA / 1x Time de Defesa

John Wall era uma das grandes estrelas da liga até a temporada 2018-2019. Durante essa temporada o atleta sofreu uma lesão em casa ao escorregar e cair da escada. Realizou uma cirurgia para reparar os danos no tendão de aquiles, mas suas suturas infeccionaram e quase dois anos depois não vimos mais o jogador em quadra. Sua carreira é uma incógnita, com 30 anos está em um momento decisivo. Será que John Wall volta a jogar? Conseguirá manter o nível de onde parou? Apesar disso, é impossível dizer que ele tenha sido uma decepção.

Draft 2011: Kyrie Irving (Armador) – Cleveland Cavaliers

Carreira

528 Jogos / 22.4 PPG / 3.7 RPG / 5.7 APG

6x All-Star / 2x All-NBA / Calouro do ano 2011-2012 / Campeão da NBA

Kyrie Irving é uma figura controversa que inspira bons e maus sentimentos. O Cleveland Cavaliers e sua torcida nunca aceitaram bem a forma como o atleta resolveu sair da equipe, o ressentimento é tão forte que a franquia ofereceu o número 2 de Kyrie para o então calouro Collin Sexton. Apesar disso, é impossível negar a importância de Kyrie para a franquia. Ele foi o responsável pela cesta mais importante da história da que garantiu o título de campeão da NBA em 2016.

Draft 2012: Anthony Davis (Ala-Pivô) – New Orleans Pelicans

Carreira

528 Jogos / 24.0 PPG / 10.4 RPG / 2.2 APG

7x All-Star / 4x All-NBA / 4x Time de Defesa / Campeão da NBA

Anthony Davis é o tipo de jogador que dispensa comentários. Talvez seja o mais talentoso jogador escolhido com a primeira escolha desde LeBron James. Em New Orleans não conseguiu levar a franquia há outro nível mas com os Lakers foi discutivelmente o melhor jogador do time durante toda a temporada. Davis é o tipo de jogador que transforma uma franquia. Os Pelicans, por sorte, pouco tempo teve para lamentar a perda de Davis e conseguiu outra vez uma excelente primeira escolha em 2020

Draft 2013 – Anthony Bennett (Ala) – Cleveland Cavaliers

Carreira

151 Jogos/ 4.4 PPG / 3.1 RPG / 0.5 APG

Você já deve ter percebido que Cleveland é um time bastante sortudo em relação ao draft. Em 2013, mais um draft sem um talento excepcional óbvio. A franquia selecionou o ala Canadense que fez apenas 52 jogos com o time e logo foi envolvido em uma troca por Kevin Love. Em Minnesota o atleta nunca se firmou e logo se tornou uma decepção passando por outras franquias até ser relegado a liga de desenvolvimento.

Draft 2014: Andrew Wiggins (Ala) – Cleveland Cavaliers

Carreira

454 Jogos / 19.7 PPG / 4.4 RPG / 2.3 APG

Calouro do ano 2014-2015

Mais uma vez a loteria do Draft beneficiou a franquia de Ohio, mas Wiggins não teve nem tempo de estrear pela franquia e fez parte da mesma troca por Kevin Love que enviou Anthony Bennett. Nos Wolves o jogador mostrou um grande talento e conquistou o prêmio de calouro do ano. Esperava-se muito do atleta Canadense, mas ele parece ter estacionado e nunca demonstrou a evolução necessária para virar uma estrela.

Draft 2015: Karl-Anthony Towns (Pivô) – Minnesota Timberwolves

Carreira

358 Jogos / 22.7 PPG / 11.8 RPG / 2.8 APG

2x All-Star / 1x All-NBA / Calouro do Ano 2015-2016

Towns é mais um dos talentos excepcionais que chegam ao draft como a clara primeira escolha. O Jogador mostra excelente desenvolvimento na parte ofensiva de seu jogo sendo um dos jogadores mais versáteis na liga no quesito pontuação. Apesar disso, sua principal qualidade na época de colegial era a defesa que muitas vezes é questionada atualmente. Mesmo assim, o pivô é um dos melhores jovens jogadores da liga e parece sequer ter chegado ao seu auge ainda. Minnesota sabe que precisa montar uma equipe mais qualificada ao seu redor para que o jogador não acabe buscando outro time para disputar títulos.

Draft 2016: Ben Simmons (Armador) – Philadelphia 76ers

Carreira

217 Jogos / 16.4 PPG / 8.3 RPG / 8.0 APG

2x All Star / 1x All-NBA / 1x Time de Defesa / Calouro do ano 2017-2018

Assim como Blake Griffin, o armador de Philadelphia precisou aguardar uma temporada completa para fazer sua estreia na NBA. A espera foi longa, mas Simmons também venceu o prêmio de Calouro do Ano na temporada seguinte. O armador é um dos jogadores de maior imposição física na liga com seus 2,08 metros de altura e 108 quilos aliado a sua excelente agilidade. Sua capacidade física permite ao atleta marcar qualquer jogador em quadra, transformando-o em um dos melhores defensores da NBA. Entretanto, Ben Simmons demonstra inaptidão para arremessar, o que o prejudica em jogar nos Playoffs quando há menos espaço em quadra para mostrar seus talentos. A necessidade de desenvolver um arremesso razoável tornou-se urgente em sua carreira, caso não consiga, é provável ver, em breve, o jogador em outro uniforme.

Draft 2017: Markelle Fultz (Armador) – Philadelphia 76ers

Carreira

105 Jogos / 3.3 RPG / 4.6 APG

Com a chegada do Draft de 2017, considerado um dos melhores do século XXI, muita gente já pensava qual seria a segunda escolha feita pelos Lakers já que a opção óbvia para a primeira seria o armador saído da Universidade de Washington. Mas Fultz teve pouca sorte. Antes mesmo de estrear sofreu uma lesão no ombro que virou um pesadelo para o jogador. A inflamação no local foi tão grande que algumas fontes diziam que o atleta não conseguia mais levantar o braço para arremessar. Markelle foi escolhido, principalmente, por sua capacidade de pontuar, mas nunca pode mostrar essa habilidade. Hoje, o jogador não está mais nos Sixers e busca se desenvolver longe dos holofotes em Orlando. Para o azar de Fultz, muitos outros jogadores de seu draft são destaques na liga atualmente.

Draft 2018: DeAndre Ayton (Pivô) – Phoenix Suns

Carreira

109 Jogos / 17 PPG / 10.7 RPG / 1.8/

Ayton é um jogador em desenvolvimento. Ao chegar na NBA, o pivô era um dos piores jogadores defensivos da liga, mas vem evoluindo a ponto de não ser um defensor sólido. O jogador mostra-se disposto a acrescentar o arremesso de três pontos em seu arsenal e treina bastante a jogada a menos para permitir espaçamento de quadra para seus companheiros. Na temporada que está por vir, Ayton terá em seu favor as jogadas armadas por Chis Paul. Ele e o Phoenix Suns prometem bastante.

Draft 2019: Zion Williamson (Ala-Pivô) – New Orleans Pelicans

Carreira

24 Jogos / 22.5 PPG / 6.3 RPG / 2.1 APG

Zion Williamson é uma força da natureza. Sua explosão, velocidade e força são incomparáveis na liga, Zion chegou na NBA destinado a ser uma estrela. O jogador já era conhecido internacionalmente desde seus quinze anos. Apesar disso, há preocupações com ele. Com 128 quilos, o ala-pivô dos Pelicans é o terceiro jogador mais pesado da liga, o que gera muito debate sobre a durabilidade de sua carreira, visto que a força aplicada sobre seus joelhos é muito grande para um atleta de alto rendimento. Fato é que o pouco que viu-se de Zion, na temporada, foi o suficiente para especular se ele já deveria ser considerado um dos melhores jogadores da liga. A expectativa sobre Zion só tem um paralelo na história, LeBron James. Será que o jovem cumprirá a promessa que fizeram sobre ele?

Draft NBA 2020 – Indefinido

Arte produzida pelo site SB Nation

Nessa noite iremos descobrir o nome da Primeira escolha em mais um Draft da NBA. Até o momento, não há escolha óbvia e tudo pode acontecer. De alguma forma o jogador escolhido ficará marcado na história da NBA, seja como sucesso, ou como decepção.

Kevin Leal Ver tudo

Jornalista em formação pela Escola de Comunicação da UFRJ, torcedor fanático da maior franquia da NBA e devoto de Marcus Smart. #CelticsBasketball

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: