Ir para conteúdo

A história da camisa aposentada duas vezes

Bill Russell e Red Auerbach comemoram o título da NBA em 1966

12 jogos de All-Star, 11 vezes All-NBA, 1 vez MVP do All-star, 5 vezes MVP 11 vezes campeão da NBA. Esse é o currículo de um gigante na história da NBA. o jogador com mais títulos e atual nome do prêmio de MVP das finais, uma carreira tão premiada que sua camisa foi aposentada duas vezes para fazer jus à sua grandeza.

Durante toda sua vida, Russell dedicou-se ao esporte tanto quanto ao ativismo político. Sua carreira na NBA o obrigou a enfrentar situações desumanizantes de racismo explícito. À época, a presença de negros na liga era rara. Bill foi o primeiro homem negro a se destacar nas franquias de Boston, uma região do país massivamente branca e racista. Ele foi vítima de racismo das torcidas adversárias assim como dos próprios fãs da franquia.O atleta sentiu que nunca recebeu o respeito devido por parte da mídia, dos fãs e da liga. Mesmo assim, Bill nunca se intimidou com os ataques sofridos e manteve-se forte na militância em favor da igualdade racial e direito dos negros no país.

Conferência dos principais atletas negros do país em apoio ao Boxeador Muhammad Ali, que sofria perseguição sistêmica após recusar participar da Guerra do Vietnam. Sentados da esquerda para a direita: Bill Russell, Muhammad Ali, Jim Brown e o então Lew Alcindor (Kareem Abdul-Jabar). Bettmann/Bettmann Archive

Apesar de pouco valorizado em geral, Bill Russell teve na franquia Celta seu ponto de apoio na liga. A equipe tratava Russell como ele merecia. O Celtics defendia a liberdade de seu atleta para se manifestar e mostrava confiança de que sua posição como jogador continuaria a dar frutos devido a sua qualidade. A confiança da franquia em Bill era tanta que Red Auerbach, o grande gênio da fanquia Celta, ao se aposentar como técnico para assumir apenas a direção, indicou Bill Russell como seu sucessor. Bill assumiu o cargo de técnico da equipe virando um jogador-técnico. Ele então tornara-se o primeiro técnico negro na história da NBA. Com isso, Bill Russell tem dois títulos como jogador-técnico da liga. Seus números de conquistas durante a carreira nunca foram igualados até hoje.

Em 1969, Bill decidiu se aposentar. Como não poderia ser diferente, o Boston Celtics decidiu homenageá-lo aposentando sua camisa, para que ninguém mais utilizasse o número que ele eternizou. Porém, Russell recusou. O ex-atleta sentia que uma cerimônia não faria sentido com tudo que ele enfrentou em sua carreira na liga. Portanto, somente anos depois, em 1972 a franquia aposentou seu número. Quando Bill atuava como comentarista, ele estava escalado para comentar um jogo entre Celtics X Knicks no Boston Garden. Auerbach se movimentou para organizar a cerimônia que Russell merecia, mas novamente ele queria recusar. Após negociação, os dois concordaram em realizar a cerimônia, mas com a condição de que acontecesse de portas fechadas, apenas com a presença da família. Minutos antes do jogo contra os Knicks o lendário número 6 subiu para o teto do Boston Garden sob poucos olhares.

Aposentadoria do número da lenda Celta, Bill Russel em 1972. Da esquerda para a direita: John Havlicek, Bill Russel, Red Auerbach, Tom Heisohn, Don Chaney e Tom Sanders. UPI/FILE/1972

Apesar da homenagem, o Boston Celtics e Auerbach nunca ficaram satisfeitos com a forma que ela ocorreu. Os dois entendiam que Bill Russell merecia uma homenagem maior do que a realizada. Por anos, aquela foi a forma em que o maior campeão da NBA teria finalizado sua história com a franquia. Mas em 1999 a história mudou. 27 anos depois da cerimônia original, o panorama da liga havia mudado. A NBA se tornara mais popular, a liga expandira para muitos mais times e havia endurecido as políticas raciais. Não era mais permitido que as torcidas abusassem racialmente de um atleta. No país, a discussão aberta da questão racial havia diminuído o apartheid da população negra. Na liga, uma nova figura havia emergido. Um homem negro que vestia a 23 em Chicago era amado por todo o país. Com essa situação, Boston ofereceu a sua ex-estrela uma nova cerimônia de aposentadoria de sua camisa. Dessa vez, com público e festa como Bill Russell merecia.

Bill Russel e sua história de lutar e vencer se tornou uma das maiores inspirações dos jovens jogadores. Como podemos ver no post do jogador Jaylen Brown em seu Instagram

Dessa vez o ex-atleta e treinador aceitou. Enfim, seus serviços ao Boston Celtics eram homenageados de forma correta. Sob uma salva de palmas dos fãs que ficavam em pé para homenageá-lo, o número 6 da franquia do Leprechaun subia para o teto da arena enquanto as lágrimas desciam no rosto de William Felton Russell, o Bill, maior campeão da história da National Basketball Association. Finalmente recebia o respeito que sempre mereceu.

Bill Russell e Red Auerbach reaposentam o número 6 da franquia Celta IM DAVIS/GLOBE STAFF/FILE

Kevin Leal Ver tudo

Jornalista em formação pela Escola de Comunicação da UFRJ, torcedor fanático da maior franquia da NBA e devoto de Marcus Smart. #CelticsBasketball

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: