Ir para conteúdo

Chris Paul no Lakers: a troca que (ainda) não aconteceu

Chris Paul e Kobe Bryant conversam durante jogo da NBA (Foto de Andrew D. Bernstein/NBAE via Getty Images)

“Eu e Kobe tínhamos conversado, você me entende? Nós já tínhamos conversado sobre tudo e conversamos muito. Conversamos muito.” Foi com essas palavras que o atual armador do Oklahoma City Thunder, Chris Paul, expressou sua frustração com a série de eventos que envolveram sua possível troca para o Los Angeles Lakers em dezembro de 2011. A franquia angelina tentou adquirir o futuro integrante do Hall da Fama, junto ao então New Orleans Hornets, para maximizar o talento de seu astro Kobe Bryant que entrava em estágio avançado de sua carreira. Além dos Lakers, a troca envolvia uma terceira franquia, o Houston Rockets, que anos depois adquiriu o próprio Chris Paul via troca com os Clippers.

O ano de 2011 foi um dos mais conturbados da história da NBA. As consequências da crise imobiliária de 2008 alcançaram a liga, que ao fim da temporada 2010-2011 registrou um déficit de 300 milhões de dólares. Isso gerou duas problemáticas: a primeira foi o locaute realizado por jogadores e equipes contra a redução de salários proposta no novo acordo trabalhista; a outra, a aquisição do New Orleans Hornets feita pela NBA, por conta das dívidas acumuladas pela franquia e pelo dono, que queria vendê-la.

Matéria do New York Times anunciando a compra do Hornets por parte da NBA

No olho do furacão estava Chris Paul, o calouro do ano de 2005-06. Ele era um dos atletas mais cobiçados da liga à época e estava a uma temporada de se tornar agente livre, podendo assinar com qualquer equipe. O jogador demonstrava descontentamento com a equipe e declarou que gostaria de ser trocado caso a franquia não pudesse bancar a montagem de uma equipe favorita. O Los Angeles Lakers enxergou a oportunidade de adicionar o atleta em seu plantel e propôs uma troca para New Orleans com a participação de Houston.

O desenho da troca era esse:

Hornets receberiam:
Ala – Lamar Odom (Lakers);
Ala-armador – Kevin Martin(Rockets);
Ala-pivô – Luis Scola (Rockets)
Armador Goran Dragic (Rockets)
Duas futuras escolhas de draft.

Rockets receberiam:
Ala-pivô – Pau Gasol (Lakers)

Lakers receberiam:
Armador – Chris Paul (Hornets)

Tweet de Adrian Wojnarowski à época da negociação entre as franquias

Segundo informações, as três diretorias haviam concordado com a troca e a mídia já anunciava a dupla Bryant e CP3 para a loucura dos fãs da franquia roxa e dourada. Entretanto, algumas horas depois, a troca foi cancelada por conta do veto do comissário da NBA, David Stern, com a justificativa de “motivos de basquete”. A liga era dona da franquia à época e donos de outros times haviam sugerido fazer as decisões sobre os Hornets em conjunto. A imprensa reportou que houve pressão de alguns donos como Dan Gilbert (Cavaliers) e Mark Cuban (Mavericks) para impedir a troca. .

David Stern sempre negou que a decisão do veto tenha sido motivada por outros donos. Em entrevista para o jornalista Chris Ballard, da Sports Illustrated, declarou: “Eu fiz (o veto) porque estava protegendo o antigo Hornets” (…) “Eu não aprovava a troca. Nenhum time vende ou troca um futuro Hall da Fama sem aprovação do dono, e eu representava o dono.”

De fato, muito se discutiu sobre quem teria vantagem na troca, e se ela deveria mesmo ter sido aceita pelo general manager de New Orleans. Fato é que a situação gerou incômodo por toda NBA, a relação entre os donos da liga estava abalada. Chris Paul e Kobe, que haviam conversado sobre como jogariam juntos, se irritaram. Lamar Odom, que seria enviado pra New Orleans, mostrou-se inconformado por ser envolvido na negociação sem consentimento e decidiu não jogar mais pela franquia, requisitando uma nova troca.

Uma semana depois, o New Orleans Hornets acertou uma troca que enviaria Chris Paul definitivamente para Los Angeles, só que dessa vez para o primo “pobre”, os Clippers. Formava-se ali a divertida Lob City. Paul declarou que estava feliz com o resultado da negociação, mas até recentemente relatos dão conta da insatisfação com o veto que nunca passou. Kobe nunca chegou a falar abertamente sobre o assunto, preferindo sempre evitá-lo e chegou até mesmo a dar entrevista dizendo que estava ansioso por ver o rival de cidade jogar com sua nova dupla, CP3 e Blake Griffin.

Mas até hoje, fãs de Chris Paul, Kobe e Lakers se perguntam, e se?

Kobe Bryant comenta a troca de Chris Paul para os Clippers

Até hoje os fãs se perguntam, e se? De uma maneira diferente, pode ser que a união entre Chris Paul e Lakers volte a acontecer quase dez anos anos depois, não será ao lado de Kobe, mas o armador se juntaria a seu amigo e atual líder da franquia, LeBron James.

Kevin Leal Ver tudo

Jornalista em formação pela Escola de Comunicação da UFRJ, torcedor fanático da maior franquia da NBA e devoto de Marcus Smart. #CelticsBasketball

2 comentários em “Chris Paul no Lakers: a troca que (ainda) não aconteceu Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: