Ir para conteúdo

O Clippers fez poucos ajustes durante a série e veja no que deu

Jokic e Murray comemorando na vitória contra o Clippers
Jokic na dancinha do boneco de Olinda – Kim Klement-USA TODAY Sports / Reuters

O Denver Nuggets virou sua segunda série seguida enquanto perdia de 3-1, desta vez contra o LA Clippers, grande favorito para levar o confronto. Porém, o Clippers pecou em um fator muito determinante em playoffs: a adaptação da equipe. Foram poucos ajustes ao longo dos jogos, o que criou a condição do Nuggets virar a série.

Uma vez que já no jogo 5 o time de Los Angeles não teve muitas respostas para os ajustes da equipe do Colorado, o que fez o jogo 6 e 7 ser apenas uma consequência.

Vamos fazer uma análise jogo a jogo de alguns fatores que podem explicar isso:

Jogo 1 – 120 x 97 Clippers

Ataque Coletivo

Nesse primeiro jogo da série a equipe do Clippers foi fulminante ofensivamente. Mesmo utilizando apenas 13 Pick’n Rolls com finalização durante o jogo, comandados em sua maioria por Williams, Morris e Harrell se aproveitaram muito bem dos espaços criados pelas jogadas de isolação e de um Nuggets claramente cansado fisicamente sem conseguir fazer coberturas com eficiência. Foram 57% de aproveitamento nos arremessos e 72 pontos dos jogadores que não se chamavam Kawhi Leonard ou Paul George.

Utilização das Estrelas

Kawhi e George combinaram para 48 pontos, onde aproximadamente 35% dos pontos vieram a partir de situações de Isolation, sem contar as 7 assistências que a dupla distribuiu. No quesito Pick’n Roll, ambos se utilizaram de poucas posses para finalizar (4 para George e 1 para Leonard), mostrando que a estratégia era de fato colocar a bola na mão das estrelas, espaçar a quadra e deixar eles usarem seu talento no 1-contra-1.

Defesa Coletiva

Nessa partida o Clippers soube aproveitar bem o cansaço da equipe do Denver. Com Kawhi, George e Morris revezaram na defesa de Murray, causando muito desgaste e o obrigando a viver de bolas de 3 desequilibrado, reduzindo ele a 12 pontos com 33% de aproveitamento nos arremessos. Já Jokic não sofreu dobras no poste baixo, deixado no 1-contra-1 contra Zubac e Harrell e sofreu muito para conseguir seus pontos, terminando com 15 pontos e 43% de aproveitamento nos arremessos. Além disso, o Clippers conseguiu obrigar o Nuggets a arremessar mais de 50% das bolas arremessadas da linha dos três, com um aproveitamento de apenas 25%.

Jogo 2 – 101 x 110 Nuggets

Ataque Coletivo

Mais um jogo sólido coletivamente. Com a equipe subindo o número de Pick’n Rolls com finalização para 22, com Williams comandando 8 deles. Zubac, Harrell, Green e Morris aproveitaram muito bem os espaços criados pelos Picks e das jogadas de Isolation de Kawhi, principalmente. Foram 66 pontos dos jogadores de apoio com 41% de aproveitamento.

Utilização das Estrelas

Em 35 pontos combinados, Kawhi e George tiveram um jogo abaixo no segundo jogo da série. Utilizando de maneira mais equilibrada os tipos de jogada, finalizaram quase que com a mesma frequência em situação de Isolation e Pick’n Roll, porém, com aproveitamento BAIXÍSSIMO! Foram 27% de aproveitamento para Leonard e 34% para Paul George, que teve a maioria de seus pontos vindos em situação de Catch and Shoot.

Defesa Coletiva

O plano defensivo do time de Los Angeles foi o mesmo do jogo 1. Pressionar com seus melhores defensores Jamal Murray e seguir sem dobras em Jokic no poste baixo. Porém, agora sem contar com a fadiga acumulada do time do Nuggets, o resultado foi bem diferente. Murray anotou 27 pontos, com 30% das posses finalizadas sendo em situação de Isolation com 1,33 pontos por posse nessa condição! Já Jokic começou sua destruição que seguiria por toda série contra seus marcadores. Zubac e Harrell não foram páreos e o sérvio anotou 26 pontos com 59% de aproveitamento nos arremessos (4/5 dos três pontos!!!). Em relação ao equilíbrio de arremessos, nesse jogo o Denver conseguiu distribuir melhor seus arremessos na quadra, o que dificultou muito a defesa a fazer coberturas precisas.

Jogo 3 – 113 x 107 Clippers

Ataque Coletivo

Um pouco diferente dos anteriores, o elenco de apoio dos Clippers neste jogo foi abaixo. Apesar de aumentar a utilização de Pick’n Rolls com finalização nesse jogo (29) e Louis Williams seguir sendo o principal jogador a utilizar os bloqueios para iniciar as jogadas, seu baixo aproveitamento o fez terminar com 10 pontos. Marcus Morris e Harrell foram os únicos a passar dos dígitos duplos em pontos e, novamente, se aproveitaram dos espaços criados pelas estrelas do time. Foram 58 pontos com 55% de aproveitamento nessa partida dos jogadores secundários.

Utilização das Estrelas

Neste jogo existiram alguns ajustes. Paul George e Kawhi Leonard passaram a utilizar mais o Pick’n Roll para iniciar as jogadas ao invés de situações de Isolation, atacando principalmente Jokic, o que surtiu muito efeito. Foram 55 pontos combinados com mais de 50% de aproveitamento nos arremessos e com um Paul George conseguindo pontuar de diversas maneiras comandando o bloqueio.

Defesa Coletiva

Aqui também tivemos um pouco de mudanças quanto a Murray. Jokic continuou a deitar e rolar nos marcadores jogando no poste baixo, Pick’n Roll, Pick’n Pop, mão-a-mão, o sérvio pontuou de todas as maneiras possíveis e em certos momentos do jogo até Paul George tentou marcá-lo. Já com Murray a estratégia funcionou, já que o camisa 27 era forçado a atacar a cesta após o bloqueio e o resto dos jogadores do time de Los Angeles CORRIAM para o meio do garrafão e impedir a cesta fácil. Funcionou, fez o aproveitamento de arremessos do canadense ficar abaixo dos 30% e acabar com apenas 14 pontos.

Jogo 4 – 96 x 85 Clippers

Ataque Coletivo

Em um jogo atípico nessa série com um baixo aproveitamento das duas equipes e consequentemente um placar baixo, os coadjuvantes foram essências nessa partida para abrir espaço para um Kawhi extremamente eficiente. Com mais tempo com a bola nas mão e utilizando muitos Pick’n Rolls (foram 21 da equipe no total que terminaram em finalizações), ele criou espaços para os cortes de Zubac, Harrell e Williams, além dos arremessos de Morris. Foram 56 pontos com 42% de aproveitamento nos arremessos.

Esse foi o jogo de Leonard. Criando espaço para ele e seus companheiros a partir do Pick’n Roll, que teve um volume bem maior que as Isolation, conseguiu terminar o jogo com 30 pontos e um aproveitamento de arremessos de 45%. Já Paul George decepcionou, com um volume baixo e aproveitamento igual, sua principal contribuição não foi criando jogadas e sim finalizando em arremessos saindo do bloqueio. Combinaram para 40 pontos nessa partida.

Nesse jogo 4 a estratégia defensiva foi muito parecida com a do jogo 3. Novamente Jokic fez o que quis no garrafão, mas sua melhor movimentação nesse jogo foi quando participou do Pick’n Pop, o Clippers simplesmente não teve resposta para isso. Já Murray sofreu novamente com a defesa de Pick, uma vez que deixava espaço para o sérvio arremessar de fora, para o canadense não havia espaço no garrafão, obrigando ele a dar arremessos de baixo aproveitamento de média distância saindo do bloqueio.

Jogo 5 – 105 x 111 Nuggets

Ataque Coletivo

Nesse jogo começam os problemas começam ofensivamente para os Clippers. Com o Denver fazendo dobras agressivas no bloqueio quando eram os jogadores secundários comandando eles, resultando assim em pouquíssimas jogadas criadas a partir deles. Dos 25 bloqueios com finalização no jogo, apenas 11 não foram das estrelas da equipe. Foram apenas 43 pontos com 42% de aproveitamento, um verdadeiro desastre.

Utilização das Estrelas

Com Kawhi mantendo o nível do jogo anterior e Paul George utilizando mais Pick’n Roll para criar jogadas, os dois souberam se aproveitar da diferença do tipo de defesa utilizada neles e criaram muitos arremessos saindo do bloqueio com a bola na mão. Foram 62 pontos combinados, aproveitamento próximo dos 50% nos arremessos e uma utilização excelente dos espaços dos bloqueios.

Defesa Coletiva

Os Clippers mantiveram a estratégia defensiva aqui, porém, não conseguiram responder a um ajuste que a equipe do Colorado fez. Murray passou a jogar mais em situações de Isolation, dificultando um pouco o ajuste de espaço da defesa. Além disso, Jokic também passou a receber a bola um pouco mais longe do garrafão na mesma situação! Isso obrigou os pivôs do Clippers a deixar o garrafão, abrindo mais espaço para cortes em direção a cesta. Além disso, as jogadas com bloqueio em que Murray estava com a bola foram modificadas também. Agora, ao invés de atacar a cesta e ter que parar para dar um arremesso de média distância, ele passou a se deslocar lateralmente e arremessar a bola na linha dos 3 pontos, surtindo efeito e fazendo com que acabasse com 26 pontos e impressionantes 71% de aproveitamento nos arremessos da linha de 3.

Jogo 6 – 98 x 111 Nuggets

Ataque Coletivo

Mais um jogo deplorável das não-estrelas do Clippers, com uma ressalva apenas para Williams, que voltou a criar a partir de Pick’n Roll e não ficou apenas como um chutador, e Green, que aproveitou bem os espaços criados por esse tipo de jogada com cortes em direção a cesta e arremessos. Foram 28 jogadas de bloqueio (com apenas 10 sendo do jogadores secundários), apenas 40 pontos e 41% de aproveitamento.

Utilização das Estrelas

Novamente George e Kawhi usaram e abusaram dos bloqueios para iniciar as jogadas. Porém, dessa vez tiveram muita dificuldade com a defesa do Nuggets que começou a negar os bloqueios para o meio, podendo assim esconder Jokic no garrafão e não deixando ele ser atacado pelas estrelas de Los Angeles. Isso obrigou muitas decisões em movimento, com pouco espaço e de média distância, fazendo o aproveitamento ser baixo (os dois tiveram aproveitamento próximo dos 43%). Além disso, as bolas que ambos tiveram um aproveitamento alto eram movimentações que dependiam do resto da equipe criar (arremessos saindo do bloqueio ou parados), o que novamente não aconteceu com eficiência.

Defesa Coletiva

Depois do jogo 5, Clippers mudou principalmente a defesa em Jokic, passando a mandar dobras eventuais no pivô para passar menos tempo com a bola na mão. Isso funcionou durante os primeiros dois quartos, porém, após o intervalo o sérvio começou a castigar as dobras encontrando seus companheiros livres e deixando a defesa sempre em dúvida. Já nos bloqueios, os Pick’n Pops com Jamal Muray continuaram sem resposta, com arremessos livres dos dois jogadores e, nessa partida, dos demais jogadores do Denver quando vinha uma ajuda desesperada na rotação para impedir o arremesso livre, o que fez a equipe ter um aproveitamento nos arremessos de 54% (Murray teve impressionantes 69%!!!).

Jogo 7 – 89 x 104 Nuggets

Ataque Coletivo

No jogo decisivo, os jogadores de apoio da equipe corresponderam. Mesmo com aproveitamento mais baixo, Louis Williams conduziu mais jogadas de Pick’n Roll para criar jogadas, maximizando a eficiência de Harrell, Zubac, Green e Beverley. Com 24 jogadas de Pick’n Roll com finalização nesse jogo, 16 foram das não-estrelas. Isso gerou 65 pontos com 38% de aproveitamento nos arremessos.

Utilização das Estrelas

Aqui começam os grandes problemas dos Clippers nesse jogo. Com um Kawhi jogando muito mais em situações de Isolation e a defesa do Nuggets tirando as bolas 3 e fechando o garrafão, ele foi obrigado a viver de arremessos de média distância de baixo aproveitamento. Paul George tentou continuar jogando com bloqueios, porém, com a MESMA adaptação defensiva do jogo anterior, o Nuggets impedia o jogador de atacar o meio do garrafão e, sem conseguir encontrar respostas, teve um aproveitamento pavoroso. Foram apenas 24 pontos da dupla com pavorosos 27% de aproveitamento.

Defesa Coletiva

Sem grandes ajustes além da frequência nas dobras em Jokic, a defesa do Clippers foi facilmente batida pelo time do sérvio. Murray continuou aproveitando os mesmos espaços nos jogo de Pick e, com um aproveitamento surreal de 56% nos arremessos, terminou o jogo com 40 pontos sem parar um segundo de punir os defensores. Nikola Jokic distribuiu 13 assistências encontrando todos os jogadores que ficavam livres a partir das dobras, fazendo o volume de todos os jogadores da equipe aumentar e mesmo assim acabarem o jogo com um aproveitamento global de 49%. A equipe do Clippers simplesmente não sabia o que fazer.

Essa linha do tempo dos jogos mostra a importância de ajustes durantes os jogos e a influência que o preparo para cada jogo influência. Talento é um fator importante dessa conta, mas no momento que o talento é igualado você precisa ter respostas para condições que o jogo pede. Muitas vezes é necessário ser criativo a partir do que os dados mostram, fazer pequenos ajustes em áreas que mesmo dando certo, podem ser mais eficientes. O Clippers negligenciou alguns desses fatores e, por isso, pode ter dado adeus ao que muitos consideravam o ano do título.

Vitor Hugo Sarvas Ver tudo

Analista de desempenho desde 2014, acredita que a ciência e a prática podem e devem andar juntas. Escrever faz parte da maneira de divulgação científica e mostrar como de fato ambos se completam.

Um comentário em “O Clippers fez poucos ajustes durante a série e veja no que deu Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: