Ir para conteúdo

América Latina acorda: conheça as primeiras ligas que vão iniciar a temporada 2020-21

Foto: @AguadaReligion

Por Daniel Mérida (@baloncestero)

A emergência sanitária foi um golpe duro para todo o planeta e o mundo do basquetebol não estaria isento. Vimos como uma grande maioria de ligas foram suspensas sem conhecer um campeão da temporada 2020-21, mas a boa notícia é que várias delas seguiram os planos vindos dos executivos buscando o caminho para iniciar de uma forma segura a temporada 2020-21 e muitas conseguiram. O Metro uruguaio e a LNPB (Liga Nacional de Basquete do México) serão as primeiras a iniciar, em ambos os casos sem torcida nos ginásios.

O Metro do Uruguai não tem data oficial para começar, mas se espera que seja entre os dias 10 ou 17 de agosto, e serão treze equipes brigando por duas vagas de acesso à LUB 2021-22, a primeira divisão do basquetebol uruguaio. A proximidade com a Argentina e a indefinição da próxima temporada da Liga Nacional fez com que este torneio de acesso seja uma afirmação para jogadores argentinos como Jony Slider, Martín Leiva ou Augustín Castro e outros jogadores nacionais de primeiro nível que optaram por jogar, também, o Metro diante do atraso da LUB, como Fernando Martínez, Miguel Barriola, Marcel Souberbiell, Reque Newsome ou Joaquín Osimani.

Martín Leiva (Foto: La Liga Contenidos)

No caso do torneio mais importante do basquetebol uruguaio, a competição reiniciará pelo final de Outubro, ao final do Metro, e volta no mesmo ponto onde foi suspenso, ou seja, a última rodada da segunda fase e a disputa dos playoffs. Aguada, Defensor, Hebraica, Malvín, Nacional, Olimpia, Trouville e Urunday serão as oito equipes que disputarão o título da LUB, a eles se juntam a Biguá, Goes, Capitol e Peñarol para completar as doze equipes que disputarão a LUB 2020-21 a partir de janeiro.

A LNBP do México foi uma das poucas a não ser afetada pela pandemia, já que haviam finalizado o torneio várias semanas antes, com o Soles de Mexicali conquistando seu quarto título de campeão. O que acabou sendo afetado foi o torneio de 2020-21, que será mais curto que as edições anteriores, com início no dia 10 de setembro e o sétimo jogo da final sendo disputado, caso necessário, no dia 7 de dezembro. Além disso, várias equipes decidiram não participar do torneio que será composto por doze times: Aguacenteros de Michoacán, Soles de Mexicali, Astros de Jalisco, Abejas de León, Panteras de Aguascalientes e Libertadores de Queretáro pela Zona Oeste e Dorados de Chiuaua, Fuerza Regia de Monterrey, Leñadores de Durango, Correcaminos de Ciudad Victoria, Mineros de Zacatecas e Plateros de Fresnillo pela Zona Leste.

Sergio Ganem, presidente do torneio, explicou recentemente que os protocolos sanitários já estão definidos e que isolarão equipes em hotéis durante os três meses da competição com restrição de saídas unicamente para treinar e jogar as partidas. As doze equipes trabalham arduamente no planejamento da temporada e, diariamente, vários jogadores confirmam participação, com um alto número de atletas argentinos como Penka Aguirre, Nico Romano, Roberto Acuña, Eryk Thomas e Facundo Piñero. O grupo de candidatos ao título voltará a estar integrado por Soles, Fuerza Regia, Aguacenteros, Mineros e Astros e se espera que Dorados se some aos “contenders”. Desses candidatos, saem os Capitanes CDMX, a equipe da capital mexicana é a primeira franquia mexicana a se inscrever em uma competição dos Estados Unidos..

Além da resolução da BCL Américas e o inicio do NBB para 14 de novembro, outras ligas nacionais buscarão retornar ainda durante 2020. A LBO da Colômbia quer iniciar dia 17 de outubro com oito times confirmados para jogos sem torcida em uma ou duas sedes. O atual bicampeão Titanes de Barranquilla, Academia de la Montaña de Medellín, Cimarrones del Chocó, Cóndores de Cundinamarca, Búcaros de Bucaramanga, Fastbreak del Valle, Piratas de Bogotá e Sabios de Manizales.

Outro é o BSN de Porto Rico, suspenso com apenas algumas semanas de competição e agora busca um recomeço que deve ser sem público e com um forte impacto econômico para as franquias. Se fala em reiniciar em outubro, mas o aumento de casos e surgimento de focos da doença nos últimos dias geram dúvidas e se esperará até 25 de agosto para uma decisão final. O terceiro torneio com planejamento avançado é a Superliga da Venezuela, que reiniciaria dias antes do início da pandemia. A primeira edição da Superliga contará com a participação de 18 equipes, várias vindo da LPB, outras de ligas de criação recente, como a Serie A, e outros que estrearão profissionalmente neste torneio. O objetivo é iniciar em setembro, com a disputa em duas sedes e com transmissão na televisão para todas partidas.

Os proprietários das equipes que jogam na Superliga, pouco antes da suspensão da competição

Acesse o site Cancha Latina

baloncestero Ver tudo

Basketadicto al mando de CanchaLatina.com
Mucho baloncesto latino, árbitro y subidor de cumbres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: