Ir para conteúdo

Muito obrigado Kobe!

Faz cinco dias que eu e o mundo se abalou com a notícia da morte da lenda Kobe Bryant em um acidente de helicóptero. Foi de longe uma das piores sensações que eu já tive na minha vida. Eu entendo todas as pessoas que falaram que parecia ter perdido um ente querido, por que foi isso mesmo que aconteceu.

Kobe foi mais presente na minha vida do que o meu pai, ele me deu conselhos e ensinou enfrentar dificuldades mais do que muito parente meu. Por isso, quando veio a notícia horrorosa na tarde de domingo eu senti como se tivesse perdido uma pessoa próxima. Admito que ainda choro quando vejo vídeos de declarações de pessoas próximas dele. É difícil! Não como explicar muito essa sensação.

Eu também me senti muito mal quando soube que a Gigi estava no helicóptero. Não só pela compaixão que eu tenho por uma perda tão precoce e sim, por ter acompanhado os primeiros passos dela no basquete. Para quem não sabe, eu trabalhei em um grande portal americano focado em high school e eu via jogos dela e conversava com treinadores e com a imprensa local sobre o futuro que a Gigi tinha pela frente. Então, quando veio a notícia foi outra porrada no estômago que eu tomei. Triste demais!

Esse tipo de notícia, faz a gente pensar em nossa vida e o quanto a gente as vezes não dá valor para o que nós temos. A vida é um sopro e devemos valorizar ela o máximo possível e todos os dias. Além de pensar na vida que eu tenho, o falecimento do Kobe me fez pensar em quando eu comecei a gostar dele. Porém, a primeira lembrança que vem na minha mente sobre ele, é péssima…pelo menos para mim.

Não sei se vocês sabem, mas sou torcedor do San Antonio Spurs e a lembrança que eu tenho do Kobe é o primeiro jogo da final de conferência de 2001. Em que ele simplesmente fez 45 pontos e 10 rebotes naquele jogo. Nem mesmo o Tim Duncan fazendo 40 pontos e pegando 10 rebotes no segundo jogo, evitou que a gente fosse varrido naquela série.

Naquele momento, eu entendi que ele ainda viria me fazer sofrer por um tempo dentro das quadras e infelizmente fora delas também. Acho que fica repetitivo falar o quão grande foi o Kobe Bryant para o basquete, na verdade eu entendo que até é difícil mensurar o que ele fez para o esporte e para os fãs de basquete. E a melhor forma de definir o tamanho dele para minha geração, é afirmar que ele foi o Michael Jordan da minha época. Eu não consegui ver toda a carreira do MJ, mas com o Kobe eu pude ver de perto ele se tornando uma lenda.

Por fim, só posso pedir desculpas pelas vezes que eu xinguei ele e entender que os momentos que ele me fez sofrer com o desempenho absurdo dentro de quadra, foi para que eu pudesse valorizar cada vez mais o legado.

Obrigado Kobe!

Seja um assinante do Blog do Souza por somente 7 ou 10 reais por mês:

 

 

 

 

Siga o Blog do Souza nas redes sociais:

 

 

 

 

Felipe Souza Ver tudo

Sou o criador do site HSBasketballBR, Blog do Souza e fui co-criador do Live College BR. Fui o primeiro brasileiro a escrever sobre high school para um site americano, o D1Vision. Trabalhei para a Liga Super Basketball como repórter e assessor de imprensa. Também escrevi para os blogs como Jumper Brasil e TimeOut Brasil, tive textos publicados pelo Bala Na Cesta. Trabalho de Scout nas horas vagas e acredito que o estudo diário do basquete, me faz um profissional melhor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: