Botafogo NBB

O Botafogo não só venceu o Pinheiros e sim, fez história

Foto: Divulgação / NBB

Quando eu entrevistei o treinador Léo Figueiró antes da temporada começar, era improvável alguém apostar naquele momento que essa equipe chegaria tão longe. Vale lembrar, que o Botafogo vinha de uma temporada fraca e que acabou culminando com a eliminação nas oitavas de final para o time do Caxias do Sul, por sinal o Léo era o assistente daquela equipe de Caxias.

Então, quando naquela época anunciaram um técnico que ainda não tinha sido testado no cargo principal de uma equipe do NBB e uma enorme reformulação no elenco, era difícil não imaginar que a meta inicial seria se manter na elite e depois pensar em alcançar voos maiores.

Mas com o passar do tempo, vi o Glorioso contratando bem e o Léo implementando um estilo de jogo agressivo que dá gosto de ver. O time foi ganhando forma e no Estadual estava claro que esse time não buscaria somente se manter na elite. Essa equipe já mostrava desde cedo uma sede de provar para os outros que poderia brigar de igual para igual, contra qualquer equipe do NBB. Poucos acreditaram? Sim, mas o que importa era os jogadores acreditarem que poderiam chegar longe e nesta terça-feira, esse time fez história.

Talvez muitos que vão ler esse texto, não entendam o peso dessa classificação. Talvez até menosprezem. Mas quem acompanha de perto essa equipe, sabe o que a comissão técnica, jogadores e dirigentes passaram. Um projeto que lá trás contava com jogadores que tinham outros empregos além de atuar pelo Botafogo. Jogador que era UBER na hora vaga ou até mesmo personal trainer. A vitória contra o Pinheiros, não foi simplesmente uma vitória no placar e sim de um projeto. De pessoas que acreditam nessa equipe, dos torcedores que sofrem todos os jogos, mas estão sempre presentes. A vitória é deles e isso ninguém pode tirar.

E se fosse para escolher um personagem dessa série, me desculpe os amigos jornalistas, eu escolheria o Léo Figueiró. É claro que todos contribuíram para a classificação desta terça, mas o Léo é o espirito dessa equipe. Ele grita todo o jogo para a sua defesa, sempre incentiva os seus atletas, berra para organizar o seu ataque, pula de agonia quando uma falta não é marcada ao seu favor, vibra a cada cesta e em muitos momentos, ele representa o torcedor alvinegro. Isso tudo eu vi na noite desta terça.

Uma partida em que o Botafogo ficou o tempo todo atrás do placar, nada parecia dar certo. A bola parecia não querer cair, mas em nenhum momento eu vi no banco de reservas um ar de frustração e sim, de confiança que no final tudo ia dar certo. Esse time lutou e lutou muito dentro de quadra. Foram literalmente guerreiros e no final veio a vitória.

Normalmente nesse momento eu abordaria a parte tática e técnica do final do jogo, mas o peso emocional da reta final foi alucinante. A cada cesta convertida pelo time carioca, parecia que os jogadores tiravam 10 quilos das costas e que o Léo sabia que estava prestes a conquistar um feito n história do clube.

Porém, foi o quando o cronômetro apitou encerrando a partida, é que veio a confirmação da enorme conquista alvinegra e a sensação naquele momento era de alivio misturado a euforia. Para vocês terem uma ideia, a primeira coisa que o Léo fez após o término da partida, foi simplesmente correr para cantar com a torcida presente no Villaboim. E o Léo como treinador não estava ali naquele momento e sim, o torcedor botafoguense.

Como vocês sabem, ele tem uma identificação enorme com o clube e a classificação contra o Pinheiros também marca a volta dele para uma semifinal de um campeonato nacional. Isso por que em 2001, último ano que o Botafogo teve basquete antes de voltar a jogar a Liga Ouro, o Léo ao lado de Marcelinho Machado, Arnaldo e entre outros, chegaram a uma semifinal.

Mas o que importa hoje, é que o Botafogo está entre os quatro melhores times do país e vai jogar um torneio internacional na próxima temporada. Para quem entrou como azarão, nada mal né?!

Então, para encerrar esse texto eu faço um apelo ao torcedor botafoguense. Não deixe de ver essa equipe jogar, não deixe a história ser escrita e você estar ausente, aproveite cada momento dos jogos que está por vir, por que o que esses caras estão fazendo em quadra, é fantástico. E você, não pode perder a chance de acompanhar esse time.

Siga o Blog do Souza nas redes sociais:

Felipe Souza é o criador do site HSBasketballBR, Blog do Souza e é co-criador do Live College BR. Ele escreve para o site americano D1Vision, para a Liga Super Basketball e tem textos no Bala Na Cesta. Faz trabalho de Scout nas horas vagas e acredita que o estudo diário do basquete, faz dele um profissional melhor.

3 comentários em “O Botafogo não só venceu o Pinheiros e sim, fez história

  1. Você pode explicar o critério que faz do Botafogo estar classificado para jogar a Liga das Américas?

    Curtir

    • Olá Marcos, tudo bem? Então, o esperado era o time garantir a vaga após a conquista para a semifinal. Porém, a Fiba Américas não definiu ainda quantos clubes brasileiros vão estar na LDA. A chance de ter mais brasileiros na competição depende do Guaros de Lara ir ou não. Enfim, eu estou corrigindo o texto nesse momento.

      Curtir

  2. Pingback: Quem sai na frente na semifinal entre Botafogo e Flamengo? – Blog do Souza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: