Extras

Olhar Tático – Bloqueios Ofensivos

Foto: Kelley L Cox-USA TODAY Sports

Os treinadores estão sempre procurando novas jogadas para que os seus atletas pontuem com mais facilidade e assim, ganhem jogos. Neste texto, eu gostaria de falar sobre os ângulos em que os bloqueios são criados.

Existem quatro tipos principais de bloqueios no basquete: Ballscreens, Downscreens, Cross-screens e Backscreens. Antes de mergulhar no tema, é preciso entender que o jogador que se beneficia do bloqueio deve ser paciente e aguardar a movimentação. Se isso não acontecer, o resultado será um bloqueio ruim ou até uma falta de ataque.

Ballscreen

Um bloqueio só é eficaz se o jogador de fato fizer contato com o defensor e forçar a defesa a ajudar. Muitas vezes os jogadores fingem que fazem o bloqueio ofensivo, sem mesmo tocar no defensor. Estabelecer o ballscreen eficaz é um sistema de duas partes, como mencionei anteriormente, o jogador que leva a bola deve ser paciente e esperar pelo bloqueio e o jogador que estiver fazendo a “parede” deve ajustá-la em um ângulo que a defesa seja aberta e forçada a fazer a cobertura.

Para que o bloqueio seja bem feito, ele deve estar com ângulo direcionado para o primeiro drible do atacante. Isso quer dizer que deixar o bloqueio em linha reta, permitirá que o defensor supere facilmente ele e com o mínimo de contato. Se o jogador fizer o bloqueio longe ou sem encostar no defensor, isso permitirá que o defensor deslize facilmente por cima ou por trás com um mínimo de contato.

Então, é ideal que o bloqueio encoste o máximo no defensor para que ele não tenha espaço para se desvencilhar e que o atacante tenha mais tempo para o seu drible ou espaço para a infiltração.

Como você pode ver abaixo, o ângulo deve ser ligeiramente ajustado levando em conta a movimentação do atacante.

Downscreen

Os downscreens são provavelmente os bloqueios mais populares no basquete. Desde cedo, os jogadores aprendem dois tipos de ataques: passar e cortar, passar e bloquear. A chave para definir um ótimo downscreen é criar um ângulo no qual o defensor não pode facilmente deslizar para cima ou para baixo. Se os ombros dos bloqueadores estiverem paralelos à linha do garrafão, a defesa pode facilmente deslizar medialmente e se os ombros estiverem muito abertos para a linha lateral, a defesa pode superar lateralmente, tornando o bloqueio ineficientes fáceis. Então, é importante o bloqueador observar o seu quadril na hora do bloqueio, pois é ele que vai facilitar ou dificultar a vida do defensor.

Backscreen

O terceiro tipo de bloqueio é o backscreen. Eles são um pouco mais fáceis de fazer, porque o defensor não pode ver ele chegando (se os colegas de equipe não se comunicarem). Os backscreens devem ser feitos quase diretamente na parte de trás do defensor. Repare que eu disse quase. É necessário haver um leve ângulo no bloqueio, porque quando o jogador (4) começar a usar ele, a defesa também começará a se mover. Os bloqueadores devem quase se posicionar lateralmente do defensor.

Usando o exemplo abaixo, se o X do X4 for a perna direita do defensor, as pernas do 3 devem estar no X.

Cross-screen

O bloqueio cruzado é uma das ações mais fáceis de ensinar e difíceis de defender, já que o treinador pode definir uma sequência de 2 ou 3 bloqueios seguidos. A intenção principal desse movimento é criar espaços em uma defesa compacta.

Então, você gostou dessa matéria? Tem dicas ou sugestões para compartilhar? Deixe abaixo nos comentários e até a próxima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s