High School

Entrevista com a Izabel Varejão

O Blog do Souza tem o prazer de trazer mais uma entrevista com uma atleta de alto nível e nada melhor do que a entrevista ser com uma brasileira: Izabel Varejão.

Izabel é sobrinha do Anderson Varejão, astro do Flamengo no NBB e ela joga basquete no high school pela Neuse Christian Academy na cidade de Raleigh (NC). Mesmo time que a brasileira Izabela Nicoletti jogou.

Izabel Varejão no centro da foto (Foto: Arquivo Pessoal)

Antes que ela jogasse somente o basquete, a carreira de modelo chegou a ser discutida.

Com uma ótima altura e tendo o corpo magro, a opção por ser modelo chegou a ser ventilada por Izabel quando ainda disputava basquete pela escola. Ao chegar num ponto em que a decisão deveria ser definitiva, entre uma carreira ou outra, a atleta não teve dúvidas e optou pelo esporte segundo essa resposta ao Globo Esporte.

“Sou alta e magra, sempre achei bonitas aquelas mulheres desfilando. Tentei, mas não era isso que eu queria. Foi muito difícil a decisão, pois tive pouco tempo para decidir o que eu realmente queria para mim. Apesar de pouco tempo, pensei bem e escolhi jogar”.

Mas depois de escolher pelo basquete, a power forward vem se destacando bastante pela equipe desde o ano passado. Ela é uma jogadora dominante dentro do garrafão, que consegue fazer bem o box out, pontuar bastante nos arremessos de curta distância e os layups. Tem um ótimo timing para pegar rebotes e dar belos tocos.

Recentemente pude conversar com o seu tio, Anderson Varejão, que falou sobre o ótimo desempenho dela no high school e se o fato dela dominar garrafão está ligado ao sobrenome.

“Não sei (risos), pode ser. As vezes está no sangue né?

Mas ela vem treinando bastante, vem se dedicando muito. Nas férias ela vem treinando nos pontos que ela precisa evoluir e nas coisas que ela já faz bem. É tudo muito fruto do trabalho dela, do esforço que ela faz. Mas pode ser que tenha uma pitadinha da ajuda do tio”.

No fim, o Anderson ainda falou se a sobrinha tem chance de chegar na WNBA.

“Eu acredito que ela tem muito potencial, tem chance sim de chegar. Mas o foco dela tem que ser no dia a dia. Ela tem que pensar grande, mas tem muito trabalho antes de chegar nos objetivos”.

Izabel e o seu tio Anderson (Foto: Arquivo Pessoal)

Nesta temporada ela também ajuda a equipe com bons passes, assumindo as vezes o papel de playmaker nos mostra que tem um ótimo QI de basquete. Vale lembrar, que ela ainda está no seu ano como júnior e deve ser a principal scorer da equipe na próxima temporada.

Veja como foram as estatísticas dela nas temporadas passadas:

Temporada Jogos Pontos por jogo Rebotes por jogo Assistências por jogo Roubos por jogo Tocos por jogo
2017-18 21 12.2 6.0 1.5 1.0 2.0
2016-17 22 9.6 6.8 1.2 0.7 2.0

A qualidade da Iza é evidente em quadra, mas a sua experiência internacional é o diferencial para atletas da idade dela. A Izabel passou pela seleção brasileira sub-16, chegando a conseguir uma medalha de prata na Copa América 2015.

Atualmente, ela ainda não se comprometeu com nenhuma universidade. Mas do jeito que ela está jogando, não vai demorar muito para que isso aconteça.

Agora que você conhece um pouco da Iza, vamos a entrevista. Ela fala sobre o seu desempenho no high school, as ofertas que ela já recebeu, sobre o seu tio e muito mais.

Espero que gostem!

Felipe – Conte para as pessoas que não te conhece, quando começou o seu amor pelo basquete e por quais clubes que você passou.

Varejão – Meu amor por basquete está no meu sangue! (Risos)

Eu tentei outros esportes e tudo, mas não teve jeito! Era basquete mesmo, nasci amando o esporte! E eu comecei a jogar no Clube Ítalo Brasileiro na minha cidade (Vitoria -ES). Já joguei pela minha escola na minha cidade também, no Centro Educacional Charles Darwin, Bradesco Esporte e Educação em Osasco (SP) e agora estou aqui.

(Foto: Arquivo Pessoal)

Felipe – Como você conheceu e foi parar na Neuse Christian?

Varejão – Eu estava na seleção e comentei com a Izabela (Nicoletti) que eu queria muito jogar aqui, daí ela falou com o Coach Eric e ele mostrou interesse (não é todo dia que se acha uma jogadora de 1,93). Então, eu vim parar na mesma escola que a Iza.

(Foto: Divulgação/FIBA)

Felipe – Queria saber como foi a sua adaptação ao high school e qual a maior diferença para você, do basquete de lá e daqui?

Varejão – Minha adaptação foi boa. As pessoas aqui me apoiaram desde o começo, então não tive muita dificuldade. E o fato de ter morado em Osasco por dois anos jogando pelo Bradesco ajudou, pois me adapto mais fácil longe ele casa.

Felipe – Nessa sua temporada no high school, você vem tendo ótimos números. Você imaginava render tanto nessa temporada?

Varejão – Na temporada passada eu fui bem, mas meus números não eram tão altos, agora me sinto mais confiante. Então eu estou pontuando mais! Eu esperava isso sim! (Risos)

Felipe – Você é uma das jogadoras mais dominantes dentro do garrafão. Imagino que as universidades já estejam te sondando. Como está o seu processo de recrutamento? Já tem ofertas ou visitas marcadas?

Varejão – Esse processo é bem complicado, é bastante pressão, porque você sempre quer jogar bem e sempre quer dar o seu melhor em quadra! É muita pressão porque você tem que decidir o seu futuro, estão quando envolve vida pessoal essa sempre difícil.

Eu tenho 5 ofertas no momento e estou sendo “vigiada” por outras universidades. Minhas ofertas são de Duke, UNC, NC State, Virginia e BYU.

Felipe – A Nicoletti está indo embora para FSU e na próxima temporada, você será a principal atleta. Já pensa nisso?

Varejão – Já!!! Vai ser bastante pressão, mas vamos que vamos.

Felipe – Imagino que por ter o Anderson Varejão como tio, as pessoas criam certas expectativas sobre você. Como você lida com isso?

Varejão – As pessoas acham que eu só conquistei tudo até hoje por causa dele e não por mérito próprio! Mas aprendi a ignorar porque eu sei que é mentira!

Felipe – Falando no Varejão, pude falar com ele e ele me falou da sua dedicação e do seu enorme potencial. Com é essa ligação com ele? Ele te passa algumas dicas?

Varejão – Meu tio é demais! Ele é um exemplo de vida em todos os aspectos! Ele me passa dicas sim! E eu o amo muito.

Felipe – Por último, qual a sua meta pessoal?

Varejão – Minha meta é ir para um college, me formar, jogar profissionalmente (WNBA e Europa), depois comprar um Great Dane¹ (hahaha) e quando eu parar de jogar, exercer minha profissão seja ela qual for.

¹ = Dogue alemão, também chamado de cão dinamarquês, é uma raça canina oriunda da Alemanha, conhecida pelo seu porte gigante.

Izabel Varejão e sua mãe, Simone Varejão (Foto: João Brito/GloboEsporte.com)

Pessoal, espero que tenha gostado da entrevista e fique ligado que vem muito mais por ai.

Anúncios

Felipe Souza é o criador do site HSBasketballBR, Blog do Souza e é co-criador do Live College BR. Ele escreve para o site americano D1Vision, para a Liga Super Basketball e tem textos no Bala Na Cesta. Faz trabalho de Scout nas horas vagas e acredita que o estudo diário do basquete, faz dele um profissional melhor.

0 comentário em “Entrevista com a Izabel Varejão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: